Fora da Bancada
Ordem denuncia caso de enfermeiro que recebeu menos de 70 euros este mês
2020-05-22 17:55:00
Tiago Costa foi infetado com covid-19 em serviço mas não tem direito ao apoio para doença profissional

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros (OE), Ana Rita Cavaco, denunciou através do Facebook o caso de um enfermeiro que, por estar doente com covid-19, recebeu este mês menos de 70 euros.

Tiago Costa foi infetado em serviço, mas como trabalha pelo regime de contrato individual de trabalho (como a grande maioria dos enfermeiros, segundo a OE) terá direito a apenas 70 por cento do vencimento.

O tempo verbal é o futuro porque, estando doente, o salário é pago pela Segurança Social, que... ainda não o fez.

"Enquanto é decidido se este enfermeiro e muitos outros têm uma doença profissional, tem 70 euros por mês para comer, dinheiro que o hospital pagou e que se referem apenas a horas suplementares”, complementou Ana Rita Cavaco, em declarações à Sábado.

O enfermeiro em causa, para o mês de maio, recebeu 69,24 euros de salário líquido, referente a suplementos e horas extra.

“Este é o ordenado que recebeu este mês. Ficou em isolamento, infetado com covid-19 em serviço. E só ficou porque é enfermeiro e esteve na nossa única linha de defesa”, precisou Ana Rita Cavaco, numa publicação no Facebook.

Como a maioria dos enfermeiros trabalha pelo regime de contrato individual de trabalho, a infeção em serviço ‘não conta’ como doença profissional, de acordo com a denúncia da OE.

Nesse caso, o vencimento é cortado para os 70 por cento.

“Se tiverem direito a doença profissional e se estiverem infetados com a covid-19, recebem 70 por cento do vencimento, não recebem 100 por cento, e essa parte é paga pela Segurança Social, o que demora tempo”, concluiu a bastonária.