Fora da Bancada
DGS publica orientações para empresas e utilizadores de transportes públicos
2020-05-20 11:50:00
Recomendações visam evitar contágio da covid-19 através da adoção de procedimentos de segurança

A Direção-Geral da Saúde (DGS) fez uma série de recomendações para os utentes de transportes públicos (autocarros, metros, comboios, táxis e TVDE), para evitar a propagação da covid-19.

Num documento divulgado no seu site oficial, aponta como orientações o uso de máscara, desinfeção, o respeito pelo distanciamento social e também o recurso a pagamentos eletrónicos.

Os utilizadores dos transportes devem evitar deslocações desnecessárias no interior dos transportes públicos e, no caso de comboios, evitar espaços partilhados, como por exemplo casas de banho.

Aos prestadores dos serviços, a DGS recomenda que apliquem planos de contingência que integrem formação aos colaboradores e funcionários, uso de equipamentos de proteção individual e materiais de limpeza.

Premissa essencial para as empresas é reduzir ao máximo o contacto entre trabalhadores de transportes público que operem em equipa, bem como o contacto com os utilizadores dos serviços.

“As empresas devem promover a instalação e uso de cabines resguardadas para o motorista e nos veículos onde não exista uma separação física, considerar, por exemplo, a adaptação do circuito dos passageiros para utilizarem exclusivamente as portas traseiras e proceder à delimitação de uma distância de segurança entre os passageiros e o motorista através de fita sinalizadora, ou outras”, esclarece a DGS na sua orientação.

Para garantir o distanciamento entre utilizadores, as empresas devem tomar medidas que evitem aglomerados de pessoas nas estações, nos terminais, nos interfaces e no interior dos veículos de transportes. A lotação deve ser reduzida, com sinalizações para lugares que não devam ser usados.

O distanciamento entre os utilizadores, sugere a DGS, pode ser feito através da “venda alternada de lugares sentados, suspender, nas estações e noutros espaços, os eventos que não sejam estritamente necessários e evitar, se possível, o aglomerado de utilizadores em canais de acesso normalmente controlados, através da abertura permanente dos mesmos ou do aumento do seu número de forma adequada ao sentido do fluxo de utilizadores”.

Já os trabalhadores devem cumprir as regras básicas individuais, como a desinfeção das mãos e dos instrumentos de trabalho, no interior, sobretudo quando o mesmo equipamento é partilhado com outros trabalhadores.

Devem ainda parar em todas as estações, no caso de comboios ou autocarros, por exemplo, para evitar que os utentes tenham de utilizar os botões de paragem, no interiro de comboios, autocarro ou metro.

Cumpre aos profissionais a obrigatoriedade de seguirem o plano de contingência e as recomendações da DGS, caso verifiquem que há casos suspeitos de covid-19.

No caso dos TVDE, os condutores devem transportar passageiros nos bancos traseiros, evitar contacto com os mesmos, viajar com janelas abertas e disponibilizar desinfetante para as mãos.

Neste tipo de transporte e nos táxis, os utilizadores “devem colocar os pertences próprios na bagageira de forma autónoma e independente, manter as mãos no colo durante a viagem e evitar o manuseamento e toque nas superfícies do interior do veículo e higienizar as mãos antes e após a utilização”.

Tags: