Portugal
Um leão vencedor que desperdiçou muito e um Rio Ave corajoso
Luís Santos Castelo
2018-03-18 23:00:00
Bas Dost e Gelson Martins somaram um golo e uma assistência cada um na vitória do Sporting por 2-0

Este era um jogo que causava alguma apreensão à equipa leonina. Primeiro, porque o Rio Ave é uma equipa de qualidade e o campeonato que tem feito prova-o. Depois, porque os leões vinham de 120 minutos duros na República Checa e a condição física dos jogadores era questionável. Contudo, o jogo foi mais tranquilo do que se esperava e o Sporting venceu o Rio Ave por 2-0 na 27ª jornada da Liga, acompanhando os rivais na luta pelo título. A formação de Jorge Jesus foi superior durante os 90 minutos, viu Bruno Fernandes brilhar e Bas Dost marcar (e assistir), mas a vitória pecou por escassa. Isto porque o Sporting teve oportunidades suficientes para chegar à hora de jogo com uma goleada. Bolas no ferro? Foram quatro.

Começando pelos treinadores, não há como negar a coragem de Miguel Cardoso. Desta vez, não foi um mero clichê para ficar bem nas conferências de imprensa: a equipa do Rio Ave não mudou mesmo a sua identidade (apesar de ter mudado o sistema tático e de ter jogado com três centrais) e jogou em casa do Sporting com uma pressão muito alta, muitos jogadores no meio-campo leonino e a construir jogo a partir do guarda-redes. Isso viu-se nos minutos iniciais, quando houve muita iniciativa vilacondense, mas também foi essa estratégia que 'tramou' o Rio Ave. Tudo porque o Sporting jogou da mesma forma, com uma pressão ainda mais alta, e tem executantes de melhor qualidade.

O jogo começou de forma muito rápida e o Sporting tentou, desde cedo, servir Bas Dost na área. Fosse Coentrão, Bruno Fernandes ou Gelson, o holandês era muito solicitado, mas, por culpa da defesa ou de quem cruzava, estava difícil que isso acontecesse. A primeira oportunidade de golo até pertenceu a Bas Dost, mas por erro dos jogadores do Rio Ave. Contudo, o avançado leonino não conseguiu bater Cássio, que defendeu. Pouco depois, de livre direto, Bruno Fernandes acertou em cheio na barra naquilo que seria um golo de levantar o Estádio José Alvalade - como já aconteceu várias vezes esta época com o mesmo jogador. Na recarga, Bas Dost cabeceou para nova defesa de Cássio. Por esta altura, já o Sporting tinha dominado o Rio Ave por completo e só se preocupava em fazer o 1-0.

O golo chegou aos 24'. Gelson Martins, no minuto anterior, já tinha rematado para (mais uma) defesa de Cássio, mas, desta vez, faturou mesmo. Num lançamento lateral efetuado com velocidade, Bruno Fernandes apareceu à direita, serviu Bas Dost e o 'gigante' assistiu Gelson Martins com um toque subtil. O internacional português ainda 'bailou' com os defesas antes de, finalmente, rematar para o fundo das redes com precisão.

Continuou o domínio leonino, continuaram as bolas no ferro. Aos 27', foi a ves de Coentrão. Mais perto do intervalo, o Rio Ave obrigou Patrício à primeira defesa apertada da noite quando Yuri Ribeiro, que até nem teve um jogo particularmente feliz, rematou de forma perigosa. O guardião da Seleção Nacional protegeu as suas redes com qualidade. Até ao final da primeira parte, destaque para a tentativa de Rúben Ribeiro que embateu na malha lateral (40'), ao tiro de Bruno Fernandes (45') e ao remate de Battaglia (45+1'). As últimas duas oportunidades só não deram golo porque Cássio mostrou estar atento. O 1-0 ao intervalo, como se pode perceber, já era escasso dado o número de chances que os leões criaram.

A entrada para a segunda parte mudou pouco. O jogo ficou ligeiramente mais lento, mas o sentido era único: da baliza do Sporting para a baliza do Rio Ave. Muitos cruzamentos, muitas jogadas perto da área vilacondense, vários remates, mas uma percentagem muito baixa na hora de finalizar. Fábio Coentrão, aos 60', voltou a acertar no poste depois de uma jogada com Gelson Martins e, aos 68', Bruno Fernandes repetiu a façanha, desta feita servido por William Carvalho. Foi a quarta bola nos ferros da baliza do Rio Ave na partida. A equipa de Miguel Cardoso, apesar de estar a ser dominada, continuava com as linhas altas e com a pressão acentuada porque, apesar de tudo, o resultado ainda era de 1-0 e o Rio Ave acreditava que podia conseguir algo mais que a derrota.

Depois de tanto desperdício (em noite de homenagem ao lendário Peyroteo, esperava-se mais neste capítulo), os mais de 42.000 adeptos presentes no recinto verde e branco puderam respirar de alívio aos 83'. Segundos depois de uma recuperação de bola de Coates no meio-campo, Gelson Martins invadiu a área do Rio Ave e agradeceu a assistência de Bas Dost fazendo a mesma coisa: assistindo para golo. O holandês, de cabeça, fez aquilo que melhor sabe e chegou aos 23 golos na Liga.

O jogo só não 'acabou' aí porque, aos 88', Wendel entrou para o lugar de Coentrão e estreou-se de leão ao peito perante uma enorme ovação. Tocou poucas vezes na bola, mas parece estar em grande conta para os adeptos do Sporting. Adeptos esses que hoje viram um jogo bem mais tranquilo do que aquele que se esperava.

Sê o primeiro a comentar: