Portugal
"Se os factos não são verdadeiros, as intenções são fruto de imaginação"
2020-07-02 22:00:00
Defesa de Luís Filipe Vieira reage à notícia da iminente acusação no âmbito da Operação Lex

A notícia da iminente acusação formal contra Luís Filipe Vieira, arguido na Operação Lex, motivou uma reação por parte da defesa do presidente do Benfica.

Em comunicado, a defesa considerou que a acusação por recebimento indevido de vantagem, apesar de ser "apenas" uma "alegação de factos envolta numa tese jurídica", é ainda assim "profundamente injusta, pois assenta em factos que não são verdadeiros e em intenções que o sr. Luís Filipe Vieira nunca teve".

"E se os factos não são verdadeiros, as intenções são fruto de imaginação", reforçou a defesa.

"Só numa mente profundamente criativa se pode conjecturar que o facto de o sr. desembargador Rui Rangel ter recebido convites para assistir a alguns jogos de futebol em que jogava o Benfica tem algo a ver com o assunto da dívida do Estado ao sr. Luís Filipe Vieira e com a ilegal demora da sentença fiscal, a ordenar a devolução do dinheiro que lhe estava a ser indevidamente retido", considerou ainda a defesa do presidente do Benfica.

O Ministério Público considera que Luís Filipe Vieira ofereceu cargos no Benfica ao então juiz Rui Rangel, também arguido na Operação Lex (e entretanto afastado da magistratura), em toca de favores judiciais, de acordo com a notícia avançada esta noite pela TVI.