Portugal
Quim regressa às balizas da Liga após 4 anos e fica à beira de máximo histórico
João Vasco Nunes
2017-09-12 11:15:00
Veterano guardião do Aves está a dois meses dos 42 e a menos de um mês de bater o registo do histórico Manuel Bento

A partida desta segunda-feira entre Aves e Belenenses, da quinta jornada da Liga, ficou marcada pelo primeiro triunfo do conjunto nortenho na Liga, mas também pelo regresso de Quim às balizas do primeiro escalão. Quatro anos e quatro meses depois do último jogo que tinha feito na Primeira Liga, quando ainda representava o SC Braga, o veterano guardião, de 41 anos, esteve em bom plano no triunfo do Aves, superando o registo de vários jogadores históricos do futebol português e ficando muito perto de se tornar no jogador mais velho a atuar na primeira divisão.

O antigo internacional português foi lançado por Ricardo Soares pela primeira vez nesta época, tendo atuado aos 41 anos, nove meses e 28 dias. Um registo que o coloca a menos de um mês do máximo histórico, que pertence ao lendário Manuel Bento - fez a última partida com 41 anos, dez meses e 25 dias. Foi frente ao Belenenses, a 20 de maio de 1990, num triunfo por 1-0 do Benfica na Luz, que o pequeno (1,73 metros), mas “elástico” guardião se estabeleceu como o mais velho jogador a atuar na Primeira divisão. Bento ainda ficou no plantel encarnado até aos 44 anos, mas nas duas últimas temporadas não fez qualquer jogo.

Quim está a apenas dois meses e um dia de completar 42 anos, idade com que nunca um jogador atuou no primeiro escalão, segundo os dados que são possíveis recolher. Caso continue a ser utilizado, o veterano guardião natural de Vila Nova de Famalicão corre série risco de bater o recorde do falecido Bento. Se jogar a partir da nona jornada, que o Aves disputa a 22 de outubro, o recorde será dele. Se jogar a partir da 12.ª jornada irá mesmo elevar a fasquia, colocando o recorde de jogador mais velho a atuar no primeiro escalão nos 42 anos.

Uma meta que Quim já tinha definido aquando da renovação com o Aves, clube que representa desde 2013/14, no final da última época. “Temos sempre de estabelecer novos objetivos e o meu é tornar-me o jogador mais velho de sempre na Liga”, admitiu o guardião numa entrevista ao Diário de Notícias, em maio último. A primeira utilização chegou à quinta jornada e até deu sorte ao Aves. Agora, resta esperar que o continue a fazer, de forma a bater um recorde que está mesmo ao virar da esquina.

A caminho do top 10 de jogos

Quim cumpre a 18.ª temporada na Liga, ele que em 2010/11, quando estava no SC Braga, não jogou devido a lesão - com essa seriam 19. O guardião formado nos arsenalistas e campeão nacional em duas ocasiões pelo Benfica, alcançou ontem o 384.º jogo no escalão principal, sendo o 19.º jogador com mais presenças. Caso segure a titularidade da baliza avense e jogue esta época com regularidade, Quim até pode atingir o top 10 desta lista, cujo décimo posto pertence a outro histórico guarda-redes: Vítor Baía, com 406 jogos.

O número um e capitão do Aves sofreu um golo na partida de ontem, naquele que foi 353.º tento concedido nos 384 jogos que fez, ele que já não sabia o que era defender as balizas da Liga principal desde 11 de maio de 2013, quando atuou numa derrota caseira do SC Braga frente ao Nacional, por 1-0. Mas quis o destino e a longevidade de Quim, que o guardião regressasse pela porta grande, depois de ter ajudado a subir o Aves na última época, e logo com um triunfo.

O exemplo de Quim não encontra paralelo nos dias que correm na Liga portuguesa. O jogador mais perto destes números é também um guarda-redes: o benfiquista Paulo Lopes, que já conta com 39 anos, mas que ainda não foi utilizado esta época. Já neste século apenas dois jogadores atuaram na Liga com mais de 40 anos. E não eram guarda-redes. Um deles foi o avançado senegalês Fary, ao fazê-lo com 40 anos, quatro meses e 24 dias, ao serviço do Boavista, em 2014/15. O outro foi o central Rebelo, ao serviço do Estrela da Amadora, em 2000/01, com 40 anos, três meses e 15 dias.

Ultrapassou referências da baliza… e não só

Apesar de (ainda) não ter alcançado o máximo histórico da Liga, Quim ultrapassou, ontem, nomes bem históricos do futebol português, a maioria guarda-redes, mas não só. Para trás ficaram os 40 anos e três meses de Michel Preud’homme, os 41 anos e um mês do malogrado Vítor Damas ou os 41 anos e oito meses de… José Torres. Isso mesmo, o “bom gigante”, antigo avançado bicampeão europeu pelo Benfica, que se manteve nos relvados até 1979/80 ao serviço do Estoril-Praia.

Tal como Bento, outros nomes poderiam ter superado a marca de jogar aos 42 anos, mas acabaram por não ser utilizados. Foi o caso do sérvio Goran Zivanovic, que faleceu no ano passado. O antigo guardião do União da Madeira e, posteriormente, do Nacional da Madeira ainda fez parte do plantel dos “aurinegros” em 2002/03, com 42 anos, mas acabou por nunca ser utilizado por José Peseiro. Dessa forma, Quim fica mais perto de se tornar o primeiro a atingir essa marca histórica.

Sê o primeiro a comentar: