Portugal
"Quando apoiaram Pedro Proença pensaram que, por ser de Lisboa, seria um aliado"
2020-06-04 22:35:00
Presidente do FC Porto analisa "golpe" na Liga de clubes

O presidente do FC Porto e candidato a novo mandato, Pinto da Costa, afirmou que Pedro Proença está a ser vítima de "um golpe" na Liga de clubes por se recusar a mudar a sede da instituição para Lisboa.

"Quando apoiaram Pedro Proença pensaram quem, por ser de Lisboa, seria um aliado", sustentou o dirigente, na entrevista à Rádio Portuense e Portal dos Dragões.

"O próprio Pedro Proença já sentiu que é um golpe. Quando eu fui presidente da Liga, senti imensas pressões para que a Liga fosse para Lisboa. O meu último ano como presidente foi fazer um acordo com a Câmara do Porto, que cedeu o terreno para instalar a sede", salientou.

Pinto da Costa elogiou o desempenho de Pedro Proença à frente da Liga, que "estava falida e desacreditada".

"Houve um dia em que os presidentes dos clubes quiseram fazer uma reunião e a direção anterior fechou a Liga com um cadeado, tivemos que reunir na bomba de gasolina em frente", recordou.

A prova de que Pedro Proença "fez um trabalho tal" esteve na reeleição "ainda não haverá um ano", com "96 por cento dos votos".

"Passados uns meses, sem nada que o justificasse, [surgiu] uma campanha tremenda contra Pedro Proença porque não alinhou na golpada de levar a Liga para Lisboa", insistiu o presidente do FC Porto.

A carta que o presidente da Liga endereçou a Marcelo Rebelo de Sousa foi apenas um "subterfúgio" para o "golpe".

"Se você quiser escrever-me uma carta tem que pedir a alguém? Não tem, escreve. Mas algum presidente de um organismo, se quiser pedir uma audiência ao Presidente da República, tem que pedir autorização? Era o que faltava", frisou.

"Querem pôr na Liga alguém que compactue em levar a Liga para a Lisboa. Dos nomes que falam, nenhum é do norte", concluiu Pinto da Costa, fechando com um "já levaram a arbitragem para Lisboa"