Portugal
Paulo Gonçalves, o "portista fanático" da SAD do Benfica
Luís Santos Castelo
2017-06-14 12:30:00
Bancada ouviu várias opiniões sobre o assessor do clube encarnado, que alegadamente terá trocado emails com Adão Mendes

Paulo Gonçalves, o assessor da SAD do Benfica que foi ontem envolvido por Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, no caso dos emails, é um dos mais experientes e reputados agentes desportivos da atualidade no futebol português, tendo até trabalhado no FC Porto e no Boavista, cujas SAD ajudou no nascimento. Em declarações ao Bancada, José Guilherme Aguiar, ex-dirigente portista, caracterizou mesmo o advogado especializado em direito desportivo como "um portista ferrenho e fanático" que terá chegado à Luz por mão de José Veiga. 

"Portista ferrenho e fanático"

Trabalhou para o FC Porto e foi um dos responsáveis pela constituição da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) azul e branca, em 1997. Apesar de nunca ter trabalhado com Paulo Gonçalves, José Guilherme Aguiar tinha um conhecido em comum com o atual funcionário benfiquista, alguém que diz ser "fanático" pelo FC Porto. "Eu conhecia o Paulo Gonçalves, apenas e tão só, como amigo de Alexandre Pinto da Costa. A mulher dele foi instrutora de processos da Comissão Disciplinar da Liga. Tive sempre o Paulo Gonçalves - e ele próprio o disse - como um portista ferrenho e fanático", revelou o advogado e antigo dirigente do FC Porto e da Liga ao Bancada.

José Guilherme Aguiar, ainda assim, não quis comentar as capacidades profissionais de Paulo Gonçalves. "É difícil ter opiniões sobre colegas quando não se tem contacto profissional com eles. Nunca tive contacto profissional com Paulo Gonçalves e, por isso, não vou dizer se é um jurista brilhante ou um jurista de 'vão de escada'", considerou. Gonçalves deixou de colaborar com os dragões em 1999, devido a uma alegada incompatibilização com Adelino Caldeira, atual administrador da SAD do clube portista.

Criação da SAD do Boavista e polémica entre Luís Filipe Vieira e Hermínio Loureiro

Seguiu para o Boavista, onde também ajudou a criar a SAD. Nos axadrezados foi contemporâneo de Jaime Pacheco, técnico que levou o Boavista ao título nacional em 2000/01. Ao Bancada, o treinador elogiou Paulo Gonçalves, mas não se quis alongar em comentários sobre o seu percurso. "Sou muito amigo dele, ele é muito competente mas esses assuntos não me interessam e por isso não me quero pronunciar. Isso é para outras pessoas", disse-nos o antigo jogador do FC Porto, que rescindiu recentemente com os chineses Tianjin Teda.

Em 2006, enquanto diretor-geral do Boavista, Paulo Gonçalves foi apontado à Liga. "O director-geral do Boavista, Paulo Gonçalves é, neste momento, a pessoa melhor colocada para substituir Emanuel Medeiros, que integrou a associação das ligas europeias, no cargo de secretário-geral da Liga. O actual dirigente axadrezado reúne amplo consenso entre os clubes e é visto como a “pessoa indicada” para o cargo no organismo presidido por Valentim Loureiro", escrevia o jornal 'Record' em janeiro desse ano. Não se concretizou, mas o seu nome voltou a estar em destaque poucos meses depois.

Paulo Gonçalves era um dos favoritos a integrar a lista da candidatura Hermínio Loureiro à presidência da Liga. No entanto, o candidato que depois venceria as eleições acabou por não o fazer, numa decisão que gerou algum atrito entre Loureiro e Luís Filipe Vieira, líder máximo do Benfica.

"Eu não exigi nenhum Paulo Gonçalves [na Liga]. Não fui eu que estive em Óbidos a falar duas horas com o senhor Paulo Gonçalves, não lhe prometi nada, nem que ele entraria na Liga. Aqui a brincadeira tem a ver com outros clubes e outros presidentes", disse Luís Filipe Vieira numa declaração pública em 2006. O presidente encarnado prometeu ainda: "se o nome do senhor Paulo Gonçalves aparecer ligado ao Benfica outra vez, eu conto a verdade toda, não só dessa como de todas".

Confrontado pelo Bancada, Hermínio Loureiro não quis recordar esse momento, mas não se inibiu de falar de Paulo Gonçalves. "É alguém dotado com uma invulgar capacidade de trabalho. É um trabalhador dedicado e é um bom profissional, isso tenho que reconhecer", admitiu Loureiro ao Bancada.

Ida para o Benfica

Ainda assim, e mesmo depois de rejeitar qualquer tipo de ligação entre Paulo Gonçalves e o Benfica, Luís Filipe Vieira contratou o advogado para o Benfica em 2007 para o lugar anteriormente ocupado por Seara Cardoso enquanto assessor jurídico da SAD. Ao Bancada, José Guilherme Aguiar contou de que forma Paulo Gonçalves chegou ao Benfica.

"Paulo Gonçalves foi para o Benfica graças a José Veiga e Alexandre Pinto da Costa, que era sócio do Veiga e chegou a colaborar com o Benfica em negócios. Paulo Gonçalves, que era jurista, tornou-se, ao longo do tempo, um homem da confiança de Luís Filipe Vieira, sobretudo naquilo que diz respeito à regulamentação do futebol. O Benfica tem advogados próprios para as questões judiciais, mas Paulo Gonçalves é o braço direito de Vieira na parte jurídico-regulamentar. Por isso, o que o Paulo Gonçalves faz, Luís Filipe Vieira tem conhecimento e deu o seu conhecimento", explicou José Guilherme Aguiar ao Bancada, que entrou em contacto com José Veiga mas o empresário recusou-se a prestar declarações sobre Paulo Gonçalves.

Carlos Janela, também contactado pelo Bancada, não poupou os elogios a Paulo Gonçalves. "A única coisa que posso dizer é que o Paulo Gonçalves é um dos melhores especialistas em direito desportivo portugueses. É, provavelmente, quem tem um dos melhores currículos desportivos no âmbito dos gabinetes jurídicos em Portugal e, portanto, é uma pessoa altamente competente", descreveu. Sobre os e-mails que Gonçalves terá trocado com Adão Mendes, o gestor desportivo preferiu não dar a sua opinião: "estou fora de Portugal e não estive muito atento ao que se passou, por isso prefiro não comentar".

Mas, afinal, que poder tem Paulo Gonçalves no Benfica? José Guilherme Aguiar não tem dúvidas que Paulo Gonçalves "faz o que Vieira lhe diz" e que tudo o que faz é comunicado ao presidente do Benfica. "Ele é, indiscutivelmente, o homem de confiança de Luís Filipe Vieira. Ele é o 'homem de mão' de Luís Filipe Vieira, que faz o que LFV lhe diz e nada daquilo que ele faz é do desconhecimento do presidente. Isso, para mim, é indiscutível".

No final, o atual comentador televisivo falou ainda de Pedro Guerra, outro dos visados de Francisco J. Marques nos alegados e-mails revelados no canal oficial do FC Porto.

"Não vou fazer um julgamento sobre essa situação [dos emails], mas a minha convicção é que Luís Filipe Vieira está a par de tudo aquilo que se passa com Paulo Gonçalves. E, também, com Pedro Guerra, que se tornou alguém que passou de inimigo a amigo", concluiu ao Bancada.

Sê o primeiro a comentar: