Portugal
Paços aproxima-se da permanência após cambalhota no marcador em Setúbal
2020-07-04 19:40:00
Meyong derrotado na estreia como técnico interino do Vitória

O Paços de Ferreira venceu hoje o Vitória de Setúbal, por 3-2, no Estádio do Bonfim, num jogo da 30.ª jornada da I Liga em que chegou ao intervalo a perder por 2-0.

Os pacenses, que marcaram através de Douglas Tanque, Maracás e Denilson, somam agora 34 pontos, fasquia lhes permite afastarem-se da zona de perigo. Em sentido inverso, os sadinos, que estrearam Meyong como treinador, após a saída de Julio Velázquez, somaram a 12.ª partida seguida sem vencer e mantêm-se na cauda da tabela, em 16.º lugar, com 30 pontos.

Apesar de ter ido para o intervalo a vencer por 2-0, com golos de Mathiola e Pirri, o Vitória de Setúbal, que teve quatro ‘baixas’ por castigo (Zequinha, Sílvio, Leandrinho e Guedes), não teve capacidade para impedir a ‘cambalhota’ no marcador por parte de um Paços de Ferreira que foi superior.

O Paços de Ferreira dispôs da primeira grande oportunidade do jogo para inaugurar o marcador – aos 19 minutos Marcelo cabeceou à trave, após assistência de João Amaral –, mas o Vitória, ao contrário do que tem acontecido, mostrou-se eficaz e colocou-se em vantagem no primeiro remate que fez à baliza.

O médio brasileiro Mathiola, uma nas novidades no ‘onze’ dos setubalenses, foi o marcador de serviço, ao cabecear, aos 27 minutos, para o 1-0, após assistência na direita de Berto, que tinha dado sequência a uma boa jogada coletiva de insistência do conjunto sadino.

Surpreendidos pelo golo contra a ‘corrente’ de jogo, os pacenses aumentaram a pressão junto da baliza de Makaridze na busca do empate. Aos 31, João Amaral desviou a bola, levando-a a passar perto do poste direito e, volvidos três minutos, Castanheira viu o guardião georgiano evitar a igualdade.

No quinto minuto de compensação do primeiro tempo, o Vitória de Setúbal voltou a ser eficaz junto da baliza contrária. O defesa Pirri, que, tal como o compatriota Mathiola, foi novidade no ‘onze’, cabeceou para o 2-0, após canto cobrado na esquerda pelo também brasileiro Éber Bessa.

Depois do intervalo, o Paços de Ferreira não podia ter melhor entrada no jogo. Logo aos 46 minutos, Douglas Tanque, livre de marcação no interior da área, cabeceou para o 2-1, após assistência de Castanheira na esquerda.

Motivados pelo golo, depois de um aviso de João Amaral, que, aos 49 minutos, obrigou Makaridze a excelente defesa, os pacenses chegaram à igualdade, aos 61, por Maracás, que, também de cabeça, fez o 2-2 frente a um Vitória incapaz de suster as incursões adversárias.

Numa segunda parte em que o Paços de Ferreira dominou a seu bel-prazer, frente a um Vitória sem capacidade de reação, o golo da reviravolta chegou, sem surpresa, aos 71 minutos: Denilson, que tinha entrado aos 55, fixou o resultado, após assistência de Douglas Tanque.

Até ao final, à exceção de um livre de Pirri que passou perto da baliza, aos 81 minutos, o Paços de Ferreira conseguiu manter o perigo longe da sua baliza. A melhor ocasião aconteceu mesmo junto à baliza vitoriana, onde Makaridze viu Castanheira, aos 85 minutos, ‘tirar tinta’ do poste da sua baliza, num remate cruzado.

Jogo no Estádio do Bonfim, em Setúbal.

Vitória de Setúbal – Paços de Ferreira, 2-3.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Mathiola, 27 minutos.

2-0, Pirri, 45+5.

2-1, Douglas Tanque, 46.

2-2, Maracás, 61.

2-3, Denilson, 71.

Equipas:

Vitória de Setúbal: Makaridze, João Meira (Jubal, 62), Artur Jorge, Pirri, André Sousa, Mathiola (Leandro Vilela, 62), Semedo, Nuno Valente (Hachadi, 78), Éber Bessa, Berto e Carlinhos.

(Suplentes: João Valido, Jubal, Leandro Vilela, Montiel, Alex Freitas, Mansilla e Hachadi).

Treinador: Meyong Zé.

Paços de Ferreira: Ricardo Ribeiro, Jorge Silva (Denilson, 55), Marcelo, Maracás (Marco Baixinho, 76), Oleg Reabciuk, Luiz Carlos (Uilton Silva, 46), Pedrinho (Vasco Rocha, 88), Eustáquio, João Amaral, Douglas Tanque (Diaby, 76) e Castanheira.

(Suplentes: Marco Ribeiro, Marco Baixinho, Bruno Teles, Denilson, Welthon, Uilton Silva, Bruno Santos, Diaby e Vasco Rocha).

Treinador: Pepa.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Jorge Silva (39), Carlinhos (63) e Oleg Reabciuk (80).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.