Fora da Bancada
“Ninguém pode afrouxar as medidas de proteção até haver vacina”
2020-07-08 22:20:00
Primeiro-ministro pede “paciência” para com as medidas de combate à pandemia

António Costa afirmou que “ninguém pode afrouxar” na prevenção da covid-19, pedindo “persistência” nas medidas de combate e “paciência” até que comecem a surgir os resultados das mesmas.

Na Amadora, após uma reunião com a presidente da Câmara, na qual participou também a ministra da Saúde, o primeiro-ministro destacou os efeitos das medidas tomadas naquele concelho para contenção do surto.

“Foi um bom exemplo”, destacou, frisando que o mesmo vai agora ser “replicado” em outras zonas da Área Metropolitana de Lisboa, a mais afetada pela pandemia.

“Ninguém pode afrouxar”, quer nesta região, quer no resto do país, avisou.

“Ninguém pode afrouxar as medidas de proteção individual, de higiene e de proteção respiratória até haver vacina e a vacina estar disponibilizada universalmente. Até não haver vacina, ou não haver tratamento, o vírus continua a andar por aí”, insistiu.

O governante defendeu a “necessidade de haver paciência e persistência na aplicação das medidas já no terreno”, algumas das quais “são muito recentes”.

“Isto não é tirarmos da cartola mais uma medida que ajuda a resolver o problema”, concluiu.