Portugal
O que Rui Pinto fez "não é atentado à democracia", diz Observatório da Justiça
2019-03-22 10:55:00
"Atentado à democracia são os negócios escuros e a corrupção que habita o nosso sistema", diz Boaventura Sousa Santos

Boaventura Sousa Santos, presidente do Observatório da Justiça, vem a público salientar que o caso de Rui Pinto "não devia ser tratado como particularmente grave", até porque "dá a ideia de que a justiça portuguesa está a entrar na paranoia internacional de que estas pessoas são um atentado à democracia".

À 'Renascença', Sousa Santos sustenta que os crimes do qual é suspeito "não são um atentado à democracia". "Atentado à democracia são os negócios escuros ilegais e a corrupção endémica que habita o nosso sistema", analisa o presidente do Observatório da Justiça que, nesse sentido, enquadra a situação de Rui Pinto.

"A atividade considerada criminosa não tem por objetivo final cometer crimes mas impedir que outros crimes se cometam e trazer à luz outros crimes", salienta Sousa Santos em defesa do denunciante do 'Football Leaks'.

Rui Pinto foi extraditado da Hungria para Portugal no âmbito de um mandado de detenção europeu emitido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Na base do mandado estão o acesso aos sistemas informáticos do Sporting e do fundo de investimento 'Doyen Sports' e posterior divulgação de documentos confidenciais, como contratos de jogadores do Sporting e do então treinador Jorge Jesus, assim como de contratos celebrados entre a 'Doyen' e vários clubes de futebol.

Sê o primeiro a comentar:
Tags: