Portugal
"Ganhar um título internacional" é a meta de Fernando Gomes no próximo mandato
2020-07-04 10:00:00
Candidato à Federação Portuguesa de Futebol apresenta 120 compromissos

Conquistar um título de futebol masculino é um dos objetivos apresentados para o próximo mandato na Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de Fernando Gomes, atual presidente e candidato único às eleições de sexta-feira.

O líder federativo, eleito pela primeira vez em 2012, apresentou hoje os 120 compromissos para o mandato 2020-2024, começando com os previstos para a primeira época, em resposta à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

“Este é um tempo em que teremos de garantir a estabilidade estrutural da nossa própria casa”, frisou Fernando Gomes, no referido documento a que a Lusa teve acesso, em que preconiza a manutenção das atividades da FPF, o combate à covid-19 no futebol e a preparação das medidas pensadas antes da pandemia, no primeiro ano, para, depois, executá-las nas três últimas épocas.

Entre os compromissos para 2020/21, Gomes pretende desenhar programas de apoio aos clubes das competições federativas, mediante a disponibilidade do organismo, e reestruturar os quadros competitivos.

“Ganhar um título internacional de futebol masculino” é um dos desígnios do atual presidente e recandidato, assim como chegar à liderança dos ‘rankings’ de futsal, masculino e feminino, e alcançar uma fase final de futebol feminino, além de candidatar Portugal à organização de competições europeias e mundiais.

Gomes pretende alcançar os 300 mil federados – eram 220 mil em março – e um mínimo de 10% femininas – 11 mil em fevereiro - e criar o programa ‘FPF na Escola’, para promover o contacto dos alunos do ensino básico com a modalidade.

A FPF pretende ainda incrementar a sua intervenção social, promovendo iniciativas conjuntas com outras modalidades coletivas para promoção do desporto, e dinamizar a prática, com campanhas de sensibilização sobre o papel dos pais no desenvolvimento dos filhos e a prática saudável do desporto.

Deste manifesto consta ainda a criação da III Liga de futebol masculino, em 2021/22, a criação de novas competições para os escalões de formação e o desenvolvimento da Liga feminina, através da monitorização e aprofundamento do programa de incentivos.

Gomes pretende criar uma ‘casa das transferências’, para promover a transparência das transações, promover a formação dos dirigentes e premiar o ‘fair play’ de clubes e atletas e desenvolver uma aplicação tecnológica sobre o desenvolvimento e desempenho dos jogadores das competições federativas.

“Sei que eu e a minha equipa falamos com a consciência de quem cumpriu, ao longo de oito anos, com os compromissos que estabelecemos com os nossos sócios. Prometemos, eu e a minha equipa, continuar a trabalhar para que do nosso futebol, passado, presente e futuro, se possa ver, cada vez melhor, um grande Portugal”, frisou Fernando Gomes.

O atual líder federativo candidata-se a um terceiro mandato, novamente com Humberto Coelho, João Vieira Pinto, Pedro Pauleta, José Couceiro, Pedro Dias, Mónica Jorge e Rui Manhoso na direção, num elenco que vai contar ainda com o antigo avançado Hélder Postiga e José Alberto da Costa Ferreira, atual presidente da associação de Viseu.

Relativamente ao atual mandato registam-se as saídas de Carlos Coutada, Elísio Carneiro, que transita para o Conselho Fiscal, e Júlio Vieira, assim como de Hermínio Loureiro, que tinha suspendido o mandato de vice-presidente em janeiro, na sequência da acusação do Ministério Público na operação 'Ajuste Secreto', e que foi 'substituído' por Couceiro.

Júlio Vieira, atual diretor cooptado e antigo presidente da associação de Leiria, é o primeiro suplente ao executivo, numa lista que volta a contar ainda com Joaquim Evangelista, presidente do Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF), e com o treinador Jesualdo Ferreira.

Cláudia Santos é a cabeça de lista para o Conselho de Disciplina (CD), para suceder a José Manuel Meirim, Luis Verde de Sousa vai liderar o Conselho de Justiça (CJ), enquanto os líderes dos restantes órgãos se mantêm, casos de José Fontelas Gomes, no Conselho de Arbitragem (CA), de Ernesto Ferreira da Silva, no Conselho Fiscal (CF), e de José Luís Arnaut, na Mesa da Assembleia-Geral (MAG).

Fernando Gomes, de 68 anos, candidata-se a um terceiro mandato, depois de ter concorrido sem oposição às eleições de 04 de maio de 2016, alcançando 92% dos votos, e de ter sido eleito pela primeira vez em 10 de dezembro de 2011, ao derrotar Carlos Marta por 10 votos (46 contra 36), sucedendo a Gilberto Madail na presidência da FPF.

O ato eleitoral vai decorrer na sede da FPF, na Cidade do Futebol, em Oeiras, entre as 15:00 e as 17:00, seguindo-se a posse dos novos órgãos sociais, às 18:00.