Portugal
“Estou disponível para ir à PJ falar em nomes”, diz Boaventura
2019-04-23 12:50:00
Empresário revela na TSF por que razão divulga os nomes dos árbitros nomeados

O empresário César Boaventura tem divulgado os nomes dos árbitros nomeados para os jogos da I Liga, o que levou o Conselho de Arbitragem a investigar os procedimentos, que deveriam manter-se sob sigilo.

Nas últimas semanas, antes de serem tornados públicos os nomes dos árbitros dos encontros dos grandes, pelos órgãos competentes, já César Boaventura os revelou, através das redes sociais.

Em declarações à TSF, nesta terça-feira, o empresário contou como lhe chega a informação. 

“São pessoas ligadas a claques que me têm passado as informações. São pessoas que não pactuam com esse tipo de coisas. Gostam de ser adeptos, de dizer a verdade. Têm coragem para falar e fazem-me telefonemas, mandam-me mensagens. Os adeptos de futebol gostam de transparência”, refere.

Boaventura não adianta, para já, identidades – “Muita gente sabe, mas tapam os olhos”, afirma –, mas promete fazê-lo. E assegura que não tem contactos privilegiados com juízes, “nem com pessoas do Conselho de Arbitragem”.

Garante que luta pela transparência no futebol e revela a identidade dos juízes nomeados para travar a coação. “Os árbitros têm visitas na escola dos filhos, na porta de casa. Andam coagidos e têm medo de falar”, refere.

“Qual será o meu interesse em divulgar os nomes dos árbitros? Será para eu os coagir? Se fosse esse o meu interesse fazia como todos os outros: calava-me muito bem caladinho”, acrescenta.

Boaventura diz-se disponível para falar com as autoridades: "Nunca fui contactado, mas estou à disposição. O meu telefone é público. Estou à disposição para ir à Polícia Judiciária falar em nomes, dizer quem, onde, como. Estou disponível para tudo isso. Vou guardar os nomes porque são úteis para as autoridades. Estou a dar a cara por uma luta pela limpeza no futebol”.

O empresário sustenta ainda que não pode ser visto como “o centro do problema”. O verdadeiro problema, defende, é “a informação sair do Conselho de Arbitragem” e servir, alegadamente, para que os árbitros sejam pressionados.

Associado ao Benfica, assume que não deixará de denunciar práticas do clube encarnado, se as descobrir. “Toda a gente me associa ao Benfica. Mas se eu souber alguma coisa de errado que o Benfica faça serei o primeiro a denunciar. Podem ter a certeza”, conclui.

Sê o primeiro a comentar: