Grande Futebol
"Cristiano Ronaldo chorava muito, nós perdíamos e não estávamos num bom momento"
2020-03-29 16:50:00
César Prates recorda o "menino de 16 anos" no Sporting

César Prates tinha 26 anos e era um indiscutível no Sporting quando chegou ao plantel principal "um menino de 16 anos", de seu nome Cristiano Ronaldo.

Em entrevista ao UOL Esporte, o antigo lateral dos leões lembrou que CR7 chegou à equipa principal quando esta estava longe de atravessar uma "fase boa".

"O Ronaldo às vezes ia para o banco de suplentes, ainda estava a amadurecer. Então ele chorava muito, porque nós perdíamos e não estávamos num bom momento", revelou.

O espírito de grupo no plantel do Sporting foi então fundamental para o desenvolvimento de Cristiano Ronaldo. "Estávamos sempre perto dele para o auxiliar e ajudar", garantiu.

César Prates era, então, um dos dois batedores de livres 'oficiais' do Sporting: ele com o pé direito, André Cruz quando era para bater com o pé esquerdo.

"Quando eu batia um livre, o Cristiano estava sempre perto de mim. Como eu batia com o pé direito, eu ensinava o Cristiano, ajustava o corpo dele, mostrava-lhe onde e como se posicionar para rematar tanto para a esquerda como para a direita do guarda-redes", adiantou.

Foi o então lateral, que agora é pastor evangélica, quem deu a Ronaldo 'truques' como "o tempo de arranque quando o árbitro apita" e a forma de bater para fazer a bola "mudar de direção".

Esse "menino de 16 anos" viria a tornar-se no melhor do mundo. "Uma loucura", comentou o antigo colega, 

 

"O Messi é um talento, nasceu para aquilo. Mas o Cristiano tornou-se, nessa obsessão focada, um jogador de alto nível. É por isso que o considero o melhor do mundo", finalizou César Prates.