Prolongamento
Convite aceite por uma das senhoras que davam sobras do McDonald’s a Ronaldo
2019-09-19 13:05:00
Paula Leça era uma das funcionárias que ajudou a alimentar o português em Alvalade

Cristiano Ronaldo confessou que tenta reencontrar uma mulher, de seu nome Edna, e duas amigas que trabalhavam numa cadeia de fast-food, perto de Alvalade, e lhe davam "os hambúrgueres que sobravam", quando era jovem e jogava na formação do Sporting. Uma dessas senhoras revela que aceita o convite para jantar feito por CR7.

"É engraçado que se volte atrás no tempo... Mostra a humildade dele. Só falta o jantar? 'OK', se chegar chegou", revelou Paula Leça, que agora já não trabalha na cadeia de fast-food e assume ter perdido o rasto de Edna.

"Pelo menos as pessoas sabem que isto não era uma invenção. Se vier o convite, lá estarei com certeza. A primeira coisa será agradecer e, no jantar, teremos tempo para recordar esse tempo", revelou Paula Leça, em entrevista à 'Renascença', dizendo que já tinha contado a história ao filho mas este não acreditava.

Já o marido era sabedor uma vez que terá mesmo chegado a ver Ronaldo, quando era jovem, a frequentar esse espaço com os amigos.

Paula Leça lembra ainda que Cristiano Ronaldo era "tímido" e "ficava até para trás" quando os amigos iam pedir hambúrgueres que sobravam.

"Apareciam à frente do quiosque, como quem não quer a coisa, e quando havia hambúrgueres a mais a nossa gerente dava-nos autorização para cedê-los", confirma Paula Leça, uma das senhoras que Ronaldo disse lembrar-se que lá trabalhavam com supervisão da "senhora Edna".