Portugal
Carvalhal e uma confidência sobre "um contrato 'assim'" de Bruno Lage
2019-05-20 16:05:00
Ex-técnico do Swansea revela que Lage assinou pelo Benfica com a equipa principal como destino

O ex-técnico do Swansea esteve no programa Trio D’Ataque, da RTP3, neste domingo, onde partilhou algumas histórias sobre os primeiros passos na carreira de Bruno Lage como profissional de futebol.

Os dois trabalharam juntos no Al-Ahly e, mais tarde, no Sheffield Wednesday, até que os caminhos se separaram e Lage ingressou no Benfica, para trabalhar na formação do clube da Luz – até chegar à equipa principal, com o sucesso agora alcançado.

Carvalhal foi agora convidado para falar desta parceria, numa altura em que os adeptos procuram conhecer melhor as origens do novo treinador campeão. E há uma história curiosa, agora contada, relacionada com as intenções encarnadas, quando Luís Filipe Vieira chamou Lage para o edifício da formação.

“Vou cometer uma confidência. Quando, na altura, o Bruno vinha para o Benfica, nós falámos e eu incentivei-o, até porque ele tinha o filho pequenito, o Jaiminho, e estava longe da família… Eu incentivei-o. Estar três anos em Inglaterra longe dos filhos é muito complicado. E quando ele me falou [da possibilidade de vinda para o Benfica] eu disse-lhe: ‘Ó Bruno, nem hesites, vai. Se quiseres, entras numa primeira liga portuguesa e eu ajudo-te, dentro das minhas possibilidades, porque tens mais do que competência’”, revela Carvalhal.

Bruno Lage diz a Carvalhal que preferia o Benfica, porque pretendia viver em Lisboa e tinha já à sua espera um contrato de quatro anos… que previa a chegada ao plantel principal.

“Vou assinar por quatro anos, vou fazer um contrato ‘assim’. Os quatro anos e o contrato ‘assim’ era indiciador que era um objetivo do Benfica – poderia não ser neste timing – que um dia o Bruno tivesse uma oportunidade na primeira equipa", conta.

Pode ver essa revelação ao minuto 28 deste vídeo.

Carlos Carvalhal recorda a “sede de conhecimento”, de Lage. “Tinha muita vontade de aprender, de conhecer, de saber mais. Mais tarde, reencontrámo-nos no Al-Ahly, eu como diretor técnico da academia e ele como treinador da equipa B. Foi aí que tivemos muitas conversas sobre futebol”, afirma.

E não é este título agora conquistado ao serviço do Benfica que gera elogios. “Antes de começar o campeonato, tive aqui uma entrevista à porta da RTP. O Bruno não estava ainda na equipa B do Benfica. E nessa entrevista – essa parte não viria a ser publicada – mencionei que o Bruno era uma pessoa extremamente capaz e que tinha um futuro promissor. E disse mais tarde, à TSF, ao João Ricardo Pateiro, quando Bruno já era treinador da equipa B, exatamente a mesma coisa. Eu não tinha dúvidas nenhumas”, afirma.     

Carlos Carvalhal enfatiza méritos de Lage: “Há pessoas que podes convidar para trabalhar contigo e que conseguem abrir o olho, viver as coisas. Porque isto não vem nos livros – a liderança, saber lidar com feitios… Ou aprendes ou tens muita dificuldade. Agora, depende do sentido crítico. Eu posso ter um adjunto que não seja inteligente, que não aprende nada. E há quem abra o olho, quem perceba o que se faz, quem entenda metodologia, já tenha uma ideia muito boa (que é o caso dele) e bem formada daquilo que queria para o futuro, da sua ideia de jogar".

Bruno Lage "é uma pessoa inteligente, absorve tudo, abre o olho, vive as coisas e, depois, está preparado para elas".

"O grande mérito que o Bruno tem é a sua capacidade de absorver para transmitir. O Bruno é uma pessoa que é muito inteligente e muito esperta, também. Não me custa nada dizer o seguinte, e faço-o com algum orgulho: eu, quando tinha de tomar algumas decisões em que havia um lado mais político da questão, chamava-o, metia-o no gabinete. E era sempre com o Bruno. Ele tem uma perspicácia muito grande”, desvenda ainda Carvalhal.

Participa na Liga NOS Virtual
RealFevr
Liga Bancada

Criar equipa