Portugal
"Cada vez a cova é maior e se eu abro a boca...", avisa Dias Ferreira
2019-08-12 12:55:00
Ex-presidente da Mesa da Assembleia-Geral critica Varandas e Keizer

Dias Ferreira critica a forma como Frederico Varandas e Marcel Keizer têm encarado o momento da equipa de futebol principal. O ex-dirigente lamenta que o presidente tenha vindo a público dizer que "não está preocupado", depois da goleada frente ao Benfica, isto numa altura em que a equipa está numa onda de maus resultados, não tendo vencido qualquer jogo nesta época. O ex-dirigente assume que, na Liga português, "não" vê "nenhum jogo como fácil".

"E não vejo o futuro fácil, por isso é que estou preocupado. E não é preocupado por perder um jogo, empatar ou não ir ganhar o campeonato este ano. É por ver que cada vez a cova é maior. O fosso já não é para a Europa. O fosso é já em Portugal", salientou. Porém, "ao que parece – é normal. É aceite com naturalidade".

"O presidente diz que não está preocupado e eu, eventualmente criticado quando digo que estou, é melhor dizer que estamos tranquilos", referiu Dias Ferreira, em declarações à 'Renascença', ironizando: "Quando o Sporting leva 5-0 no primeiro jogo oficial e faz a pré-época que fez porque é que tenho de ficar preocupado?"

O ex-presidente da Mesa da Assembleia-Geral verde e branca lamenta ainda que as pessoas do Sporting não tenham percebido o que se passa. "As pessoas continuam a dizer que 'tem de ser tudo para o mesmo lado’. O que é que uma pessoa deve dizer quando a direção e o presidente dizem que não estão preocupados? Mas não estão porquê? Não vêem o mesmo que os outros vêem? Ainda não perceberam que distância para os nossos rivais é muito grande? E não é uma coisa temporária".

O antigo membro dos órgãos sociais referiu ainda que o "Sporting pode ganhar as taças, mas dificilmente ganha uma prova de regularidade" e justifica-se. "Não tem equipa para isso. Em quantidade e em qualidade. Não tem quem a dirija para esse efeito. Oxalá me engane". 

Dias Ferreira diz ainda que Varandas e Keizer "têm personalidades parecidas" e a "diferença" é que "um fala português, o outro inglês". "Era difícil fazer qualquer coisa para ganhar no imediato, mas mesmo a longo prazo não vejo o que se estará a fazer. O treinador também aceita as coisas como normais", disse, deixando um esclarecimento.

"A única coisa que posso dizer é que não estou de acordo com isto! De resto, se começo a abrir muito a boca…"

O ex-dirigente diz estar "preocupado" dada a "experiência" que tem e a forma como vê este Sporting.