Portugal
Bruno de Carvalho diz que basta uma carta dos jogadores para se demitir
Redação Bancada
2018-06-11 21:50:00
Bas Dost rescindiu contrato com o clube.

"Se o problema dos jogadores que rescindiram é este Conselho Diretivo, basta escreverem uma carta a dizerem duas coisas: que se esta direção se demitir voltam atrás nas rescisões e jogam pelo Sporting e que, se nos voltarmos a candidatar e ganharmos, continuam a valer estas premissas. Basta haver esta carta dos seis jogadores e nós, na mesma hora, demitimo-nos". A garantia foi dada por Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, nesta segunda-feira, em conferência de imprensa, depois de confirmar que Bas Dost também rescindiu contrato com o clube.

O presidente leonino garantiu que se demite mediante uma de duas premissas: "1- Sairemos se for vontade dos sportinguistas em Assembleia Geral e sairemos com orgulho. 2- Se os jogadores escreverem a tal carta".

Sobre as cartas de rescisão

"É tão fraca a argumentação que já se percebeu que estes processos não são para ser levados até ao fim".

"Há uma situação de chantagem, difamações e calúnias".

"Uma jogada brilhante de xadrez que, no final, não dará em nada. Posso garantir aos sportinguistas que estes processos não vão dar em nada".

"Será decisão da SAD se os jogadores podem voltar ou não [depois de já terem apresentado as rescisões]. Mas claro que podem voltar atrás. Depende é da SAD aceitar ou não".

Sobre propostas pelos jogadores

"Não chegou nenhuma proposta formal pelo Gelson, pelo Podence, pelo William e pelo Bruno Fernandes. Houve conversas, mas, que eu saiba, não houve formalização, de uma proposta pelo Rui Patrício"

Sobre eventual demissão

"Vamos imaginar que decidimos sair. Perante esta angústia que vai na alma dos sportinguistas nós iríamos embora e:
1- O futebol mudaria de paradigma no Mundo inteiro. Se isto são causas de rescisão por justa causa, então o futebol vai mudar.
2- Fosse quem fosse o próximo presidente, que tipo de liderança teria no Sporting? Como é que iria gerir o Sporting? Sob medo? Sob pressão? A coisa mais fácil que poderíamos fazer seria apresentar a nossa demissão, mas o Sporting perderia tudo o que conquistou nos últimos cinco anos: força negocial e credibilidade.
3- Não conseguimos perceber o que isso traria de bom"

Sê o primeiro a comentar: