Portugal
Belenenses SAD vence na deslocação ao Desportivo das Aves
2020-06-05 23:20:00
Azuis de Oeiras não perdem há cinco jornadas

O Belenenses SAD somou hoje o quinto jogo consecutivo sem perder na I Liga de futebol, ao impor-se na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 2-0, num encontro da 25.ª jornada de fácil resolução.

Na Vila das Aves, um autogolo do guarda-redes brasileiro Fábio Szymonek (11 minutos) e um tento de Silvestre Varela (39) confirmaram o regresso dos lisboetas aos triunfos, após quase três meses de paragem devido à pandemia de covid-19, perante um adversário sem confiança nem capacidade para disfarçar a crise desportiva, diretiva e financeira.

Os ‘azuis’ consolidaram o 13.º posto, com os mesmos 29 pontos de Boavista e Vitória de Setúbal, 10 acima da zona de salvação, onde surgem os avenses, cada vez mais próximos da despromoção, na 18.ª e última posição, com apenas 13 pontos, menos nove que o Paços de Ferreira, a primeira equipa acima da ‘linha de água’.

Encarando bancadas vazias e a ausência dos influentes Beunardeau e Welinton Júnior, desvinculados desde abril pelo atraso salarial entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, Nuno Manta Santos devolveu Mohammadi ao ataque e entregou a baliza a Fábio Szymonek, que encaixou um pontapé frontal de Silvestre Varela logo ao oitavo minuto.

A frescura física e mental dos lisboetas rendeu frutos três minutos mais tarde, quando o guarda-redes brasileiro desviou com o calcanhar para a própria baliza um desvio subtil de Marco Matias ao poste direito, na sequência de uma cavalgada isolada de Nilton Varela pelo flanco esquerdo, aproveitando a desorientação contrária na cobertura zonal.

Apesar da vantagem madrugadora, o Belenenses SAD manteve o bloco adiantado e a simplicidade em posse, agudizando as dificuldades de construção do Desportivo das Aves, que se limitava às movimentações em profundidade e só espreitou o perigo através da bola parada, num cabeceamento torto de Ricardo Mangas aos 33 minutos.

Até ao descanso o duelo desenrolou-se num ritmo baixo e mastigado, em função da pausa competitiva prolongada, panorama agitado apenas pela inspiração individual de Silvestre Varela aos 39 minutos, ao escapar-se à marcação de Rúben Oliveira para assinar um remate longínquo em arco indefensável para Fábio Szymonek.

A etapa complementar devolveu uma reação tímida dos nortenhos, expressa na presença atacante dos recém-entrados José Varela e Marius, que desataram a linha de cinco defesas e esboçaram linhas de passe no meio-campo ‘azul’, mas pecaram pela falta de criatividade e de argumentos coletivos na hora de penetrar em zonas de finalização.

Nesse aspeto os pupilos de Petit mostraram outra clarividência e ameaçaram o terceiro festejo em duas transições finalizadas por Mateo Cassierra (58 e 63 minutos), numa postura expectante que assegurou o quarto jogo seguido sem golos consentidos, para desespero dos avenses, que registam 10 derrotas em 13 duelos caseiros.

Jogo no Estádio do CD Aves, na Vila das Aves.

Desportivo das Aves - Belenenses SAD, 0-2.

Ao intervalo: 0-2.

Marcadores:

0-1, Fábio Szymonek, 11 minutos (própria baliza).

0-1, Silvestre Varela, 39.

Equipas:

- Desportivo das Aves: Fábio Szymonek, Mato Milos, Oumar Diakhité, Jonathan Buatu, Afonso Figueiredo (José Varela, 46), Rúben Oliveira (Marius, 72), Estrela, Kevin Yamga, Pedro Delgado (Zidane Banjaqui, 46), Ricardo Mangas e Mehrdad Mohammadi.

(Suplentes: Raphael Aflalo, Jaílson, Marius, Zidane Banjaqui, Tshibola, Falcão e José Varela).

Treinador: Nuno Manta Santos.

- Belenenses SAD: Hervé Koffi, Tiago Esgaio, Cafú Phete, Nuno Coelho, Gonçalo Silva, Nilton Varela, Show, André Santos, Marco Matias (Licá, 74), Silvestre Varela (Dieguinho, 82) e Mateo Cassierra (Edi Semedo, 88).

(Suplentes: André Moreira, Licá, Chano, Rúben Lima, Dieguinho, Danny Henriques e Edi Semedo).

Treinador: Petit.

Árbitro: João Pinheiro (AF Braga).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Pedro Delgado (22), Oumar Diakhité (23), Zidane Banjaqui (48), Show (55), Tiago Esgaio (64) e Mato Milos (90+2).

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19.