Revista de Imprensa
Futebol é feito de golos, mas só para alguns...
Mauro
2018-11-23 09:30:00
Um escândalo evitado por quem não sabia rematar.

As manchetes desta sexta-feira trazem uma disputa pelo valor do golo. Vamos, primeiro, a quem valoriza o golo. Na Luz, cheirou a escândalo, com o Arouca muito perto de obrigar o Benfica a horas-extra na Taça de Portugal - a propósito, já leu a crónica deste jogo? Tal como destaca o jornal "A Bola", foi uma exibição cinzenta - não menos do que as recentes -, e os encarnados foram salvos por... Rafa.

Sim, aquele rapaz que não sabia finalizar jogadas de golo já é o melhor marcador do Benfica nesta temporada e, ontem, resolveu o jogo, salvando Rui Vitória e entalando Quim Machado. "Rafa safa", titula "Record", enquanto "O Jogo" escreve que "Rafa não fez descontos". Rafa já mostrava qualidade no 1 contra 1 e uma velocidade, quer em condução quer a explorar a profundidade, que ajudava a criar desequilíbrios. Faltava o golo e, com ele, Rafa torna-se muito melhor jogador. Este, sim, pode vir a ser jogador de 18 milhões.

Agora, vamos a quem não dá importância ao golo. No jornal "O Jogo", destaca-se a seca de golos de Óliver Torres, que evidencia o mesmo problema que tinha Rafa. Mas o que estamos para aqui a dizer? Rafa, sem os golos, "sabia a pouco". Já Óliver não precisa deles para nada. O craque espanhol ganhou, finalmente, lugar de destaque na equipa do FC Porto - até que enfim! - e em trazido qualidade na primeira fase de construção, fluidez à circulação (a importância que tem um jogador que passa sempre tenso é tremenda) e, sobretudo, bolas verticais, com capacidade de queimar linhas de pressão em drible, em posse ou em passe. Óliver é craque e, ao contrário de Rafa, não precisa dos golos para o ser.

Falemos de bola. Por cá, no Bancada, houve futebol gourmet. Fomos conhecer melhor o goleador do Lusitano de Vildemoinhos, que não poderá trocar de camisola com jogadores do Sporting. Ainda na Taça, quisemos saber mais sobre o Arouca, adversário do Benfica, bem como do Xéxé do Vale Formoso. Conheça ainda a odisseia de Gastón Giménez na seleção argentina, o lado sensível de Ibrahimovic e a história de Raúl José, o adjunto de sempre de Jorge Jesus. E já viu a lista de hoje?

Por cá, o Sporting não só conseguiu o mínimo para emitir o empréstimo obrigacionista como ultrapassou esse valor. Mas o que é isto de empréstimo obrigacionista? O Sérgio Cavaleiro foi fazer umas perguntas ao Camilo Lourenço

Por fim, umas notas soltas: os adeptos do Boca encheram o La Bombonera num treino (vale a pena ver) e Mourinho respondeu a Casillas de forma bem agressiva e Maniche contou umas histórias engraçadas. Já o Belenenses, o da SAD, quer que o outro Belenenses, o do clube, deixe de falar dos títulos conquistados.