Prolongamento
"Vende por 80 milhões mas tudo espremido são umas 10 pessoas a receber dinheiro"
2022-01-20 18:30:00
"É uma forma de fazer as coisas. O que se vê é a fanfarronice", comenta Fernando Mendes

Os negócios no mundo do futebol e as transferências têm sido alvo de uma vigilância apertada por parte das autoridades judiciais e tributárias, em Portugal, que, nos últimos tempos, têm realizado diligências no sentido de combater eventuais atos ilícitos e criminais. Ao mesmo tempo, têm vindo a ser tornados públicos excertos de escutas no âmbito do processo Cartão Vermelho que revelam conversas de figuras ligadas ao mundo da bola que, entre outras coisas, comentam negócios, verbas sobre jogadores e comissões.

A respeito de transferências, soube-se nos últimos dias que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deseja ter mais esclarecimentos sobre, por exemplo, o negócio da transferência de Rúben Dias do Benfica para o Manchester City e a contratação de Nicolás Otamendi por parte do emblema então liderado por Luís Filipe Vieira.

A propósito de negócios com valores elevados, Fernando Mendes, antigo jogador de futebol, considera que os clubes divulgam que vendem um jogador e depois, feitas as contas, nos cofres dos clubes não caem os valores na dimensão propalada.

"É uma forma de fazer as coisas. O que se vê é a fanfarronice. Vendi o jogador por 68 milhões de euros, ou 70 milhões de euros, ou 10 milhões de euros", referiu Fernando Mendes, lembrando que, feitas as contas e depois estarem pagas as comissões, os valores são inferiores.

"Depois quando se vem a saber é comissão para aqui, vem o outro, e depois dá mais ao Bruno Macedo e mais não sei quantos e mais a outro", destacou, realçando que "aquilo tudo espremido..."

No fundo, em seu entender, "é mais fanfarronice e uma forma de contornar as leis", disse Fernando Mendes, em declarações na CMTV, falando de "fanfarronice pura, fanfarronice pura", insistiu.

O antigo jogador de futebol tratou de esclarecer que tem esta visão seja para o clube encarnado ou para outro qualquer. "Seja o Benfica ou outros clubes que fazem isto", precisou o antigo jogador, lamentando este tipo de narrativa na reação dos clubes às transferências.

"Grandes vendas. Vendo jogadores por 80 milhões quando aquilo tudo espremido são umas 10 pessoas a receber dinheiro, entra na conta de um, vai para outro e vamos andando nisto", apontou o ex-futebolista que chegou a representar FC Porto, Benfica e Sporting, entre outros emblemas.

Por outro lado, Fernando Mendes aproveitou ainda para lamentar que tais situações possam ter lugar no mercado de transferências nacional. "É o futebol que nós vivemos", criticou o ex-jogador.