Prolongamento
"Varandas não é jurista. Quanta gente é detida e depois absolvida neste país?"
2021-08-06 11:50:00
Ex-dirigente do Sporting Rita Garcia Pereira lamenta declarações de Varandas

Frederico Varandas voltou ao ataque contra os rivais do Sporting mas a posição assumida pelo presidente do Sporting causa desconforto entre antigos dirigentes dos leões. Rita Garcia Pereira – que integrou a comissão de fiscalização no Sporting criada por Jaime Marta Soares, aquando da saída de Bruno de Carvalho no clube de Alvalade - diz que o presidente verde e branco deve ter presente que não se deve acusar alguém até que os processos sejam finalizados pela Justiça.

"O Frederico Varandas não é jurista mas, seguramente, não desconhece o princípio da presunção de inocência. Não podemos acusar os outros até ser provado. É a minha tese. O que não significa que não existam alguns indícios. Mas até serem confirmados...", comentou Rita Garcia Pereira, realçando que o presidente do Sporting deveria focar-se nos sucessos dos leões e não em dar 'recados' aos rivais.

"Tem mais é de se congratular com as vitórias do Sporting do que, pela segunda vez consecutiva, andar a desfazer os adversários da forma como o faz", lamentou a ex-dirigente do Sporting.

Garcia Pereira aludia às palavras recentes de Varandas e também às declarações que o presidente do Sporting prestou, após a vitória do campeonato, na visita feita pela comitiva verde e branca à Câmara Municipal de Lisboa, em maio, altura na qual Varandas apontou 'baterias' aos rivais.

Para Rita Garcia Pereira, advogada de profissão, Varandas deverá perceber que "a detenção em si mesma não significa nada". "Quanta gente neste país foi detida e, em seguida, absolvida? Quantas pessoas? Não é um mero ato de ser detido que, no fundo, representa seja o que foi. Se, no final, for condenado, Varandas terá razão. Mas levará anos", disse Rita Garcia Pereira na CMTV.

No mesmo painel no canal da Cofina, Capristano, ex-vice-presidente do Benfica, alinhou pela mesma lógica de Garcia Pereira e disse que não gostou do que ouviu Varandas dizer, dando o exemplo de Pinto da Costa na forma como trata agora Vieira.

"Pinto da Costa não pisa um adversário que está no chão. O Frederico Varandas está a pisar um adversário que está no chão. Não pode ser. Inadmissível. Tenho muita pena que existam pessoas destas no meu mundo", referiu Capristano.

Frederico Varandas, recorde-se, deixou, recentemente, recados a Pinto da Costa e a Luís Filipe Vieira, salientando que tem outros "valores", para o Sporting e dizendo, desde logo, que a detenção do ex-presidente do Benfica, no âmbito da operação 'Cartão Vermelho', não foi uma surpresa. "Nem para mim nem para ninguém, e é justamente isso que descredibiliza a Justiça".

À revista do semanário Expresso, Varandas disse ainda que o presidente do FC Porto não deveria "dirigir nenhum clube do país". "Percebo que faça muita confusão a qualquer português que um presidente de um clube, e falo de Pinto da Costa, não temo dizer o seu nome, seja apanhado em escutas a oferecer serviços a um árbitro. Ou seja, a corromper um árbitro. Mas dado que as escutas não foram aceites pelos tribunais, ignoram-se. Isto entra na cabeça de algum português? Mas depois, se essa pessoa tem 'n' títulos, é respeitada, porque ganhou. (...) Isso não entra nos meus valores."