Prolongamento
"UEFA pode torcer o nariz. Contas à moda do Porto já não são o que eram"
2021-10-19 10:00:00
"Estes défices de credibilidade não ajudam mesmo", avisa Barbosa da Cruz

As considerações prestadas pelo FC Porto no seu mais recente Relatório e Contas podem levar a "quatro relevantes inconvenientes", de acordo com o que adianta o advogado e ex-dirigente do Sporting Carlos Barbosa da Cruz, que assina um artigo de opinião sob o título de "azul opaco" ao abordar a questão das justificações dadas pela SAD portista ao regulador do mercado de capitais.

Para o advogado, esta "forma criativa", como lhe chama, poderá acabar por levar a quatro vertentes sobre as quais detalha no texto, onde menciona ainda a "permuta opolenta de jogadores" com o Vitória de Guimarães. A primeira delas tem que ver com a interpretação que os números poderão ter na UEFA, que tem mantido as contas azuis e brancas sob vigilância.

Barbosa da Cruz admite que a UEFA "pode torcer o nariz e adiar a tão ansiada libertação", sendo que, num segundo ponto, o advogado não descarta que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) possa revelar que existem "práticas impróprias" e abrir um "desprestigiante processo de contra-ordenação".

Em terceiro lugar, o antigo dirigente do Sporting abre a porta a uma eventual reação adversa por parte do mercado em relação às contas da SAD do FC Porto, que está cotada em bolsa. E Barbosa da Cruz chama a atenção para o impacto que isso teria caso os dragões queiram, no futuro, abrir processo de empréstimo obrigacionista.

Na quarta vertente, Carlos Barbosa da Cruz não descarta que o último relatório e contas possa levar a um "dano reputacional" da marca FC Porto numa altura em que o processo de negociação dos direitos televisivos poderá avançar. "Estes défices de credibilidade não ajudam mesmo", avisa o advogado.

Em artigo de opinião que assina nas páginas do jornal Record, Carlos Barbosa da Cruz lembra uma célebre expressão popular sobre as "contas à moda do Porto", numa expressão muito utilizada quando se queriam dividir despesas, e aproveita para dizer que, a seu ver, "as coisas já não são o que eram".

Em relação às contas do FC Porto e ao seu mais recente relatório, algumas vozes já se têm levantado com pedidos de intervenção por parte do Fisco

"Espero que o Fisco acelerado quando é com o cidadão vá conferir esta situação. Isso é que é importante", declarou António Figueiredo, antigo vice-presidente do Benfica.

Depois da publicação do relatório e contas, o FC Porto não prestou declarações, sendo que há figuras ligadas ao portismo que não escondedm o desagrado por esta situação. "É horrível não conseguir defender o FC Porto", desabafou Rodolfo Reis, antigo capitão dos dragões.