Prolongamento
"Sou absolutamente alheio a tudo que se passou", garante João Loureiro
Redação
2021-02-19 23:00:00
Ex-presidente do Boavista ouvido pelas autoridades brasileiras no caso do avião com 500 quilos de cocaína

João Loureiro, ex-presidente do Boavista, garantiu desconhecer por completo o caso dos 500 quilos de cocaína que foram apreendidos num avião no aeroporto da cidade de Salvador, do Brasil, há cerca de uma semana.

O testemunho do ex-dirigente desportivo foi feito após ter prestado depoimento às autoridades brasileiras, numa audição que durou cerca de quatro horas.

"Prestei declarações como testemunha junto das autoridades competentes em Salvador. Por respeito às autoridades brasileiras e uma vez que o caso está em segredo de justiça, apenas direi que sou absolutamente alheio a tudo que se passou", afirmou.

Foi para prestar esse testemunho que João Loureiro permaneceu na cidade brasileira, para poder tratar do regresso com a consciência completamente tranquila.

"Fiz questão de continuar no Brasil até ser ouvido, porque quis dar a cara perante quem de direito e quem não deve não teme", frisou o ex-presidente do Boavista, em declarações ao jornal Record.

João Loureiro aproveitou para esclarecer que, ao contrário do que as primeiras notícias indicavam, não estava a bordo do avião quando as autoridades descobriram os 500 quilos de cocaína. "Aquando da apreensão em Salvador eu estava em São Paulo, o que é absolutamente factual e está provado", assegurou.

"Agora que cumpri a obrigação a que me propus tratarei de calmamente organizar o meu regresso a Portugal. Aproveito para agradecer a quantidade incrível de mensagens de solidariedade que recebi de Portugal e de vários países lusófonos, incluindo aqui o Brasil, que calaram fundo no meu coração", finalizou o ex-dirigente.