Prolongamento
"Acho um encanto o senhor Pinto da Costa falar de árbitros"
2021-08-03 11:20:00
Braz Frade diz que Pinto da Costa "relata a história como ele a vê"

O presidente do FC Porto aproveitou um recente episódio do documentário 'Ironias do Destino', que tem sido transmitido no Porto Canal, para abordar as passagens pelo emblema azul e branco dos treinadores Julen Lopetegui, José Peseiro e Nuno Espírito Santo pelo FC Porto. 

E o dirigente portista não deixou escapar a oportunidade para lançar uma 'alfinetada' ao rival encarnado, aludindo à questão dos "padres" e das arbitragens. A afirmação é desvalorizada pelo ex-vice-presidente das águias João Braz Frade, até porque, nota o ex-dirigente do clube lisboeta, no museu do FC Porto há referências religiosas.

"Acho um encanto o senhor Pinto da Costa falar de árbitros. Desde que o ouvi a dar conselhos sobre o matrimónio acho que tudo é possível. O senhor Pinto da Costa tem ironia e relata a história como ele a vê", comentou Braz Frade, salientando que este "é o mesmo senhor Pinto da Costa que mandou tirar a cabeça da ex-mulher numa foto do museu e colocou lá um padre".

"Quem tem esta credibilidade... Eu não ligo nada ao que ele diz. É irrelevante", observou João Braz Frade, realçando que tudo não passa de "propaganda" do presidente do clube da Invicta.

"No dia em que o senhor Pinto da Costa falar verdade é que vou ficar admirado, agora estas propagandas?", questionou João Braz Frade, insistindo que no que toca a arbitragens o FC Porto tem 'telhados de vidro'.

"Se o FC Porto fosse limpinho, limpinho, limpinho... Mas não é limpinho, limpinho, limpinho", assinalou o ex-membro dos corpos sociais do Benfica João Braz Frade, em comentário na CMTV, onde se abordava a recente declaração do dirigente portista sobre a falta de mérito do clube da Luz, no título que o líder dos dragões apelidou de "campeonato dos padres".

Ao falar sobre alguns treinadores que tiveram uma passagem mais discreta ao nível de títulos pelo FC Porto, Pinto da Costa aludiu a expressões que se tornaram mediáticas no léxico do futebol português depois de divulgadas no Porto Canal com referência a conteúdo eletrónico alegadamente proveniente do Benfica.

O caso tem vindo, nos últimos anos, a ser investigado e analisado na justiça, sendo que o Benfica se tem defendido com a justificação de que os mails foram truncados. Entretanto, o FC Porto foi condenado no processo, sendo que a SAD portista decidiu apresentar recurso e o caso continua, por isso, a ser tratado pela justiça.