Prolongamento
"Pelos vistos o Amorim não é eterno e o que fica é quase nada"
2022-04-22 15:35:00
"Presidente Varandas teve entradas de leão e saídas de sendeiro", critica Hélder Amaral

Cresce a contestação em Alvalade após uma semana complicada para o conjunto verde e branco que perdeu os dois confrontos que teve com os eternos rivais. Primeiro, foi o Benfica a derrotar o Sporting em Alvalade para o campeonato, depois, a visita ao Estádio do Dragão no adeus à Taça de Portugal. Frederico Varandas e Rúben Amorim sentem agora a pressão a aumentar. Hélder Amaral, antigo membro das estruturas consultivas do Sporting e crítico da gestão de Frederico Varandas, sai a público para assumir que teme pelo que aí virá em Alvalade.

"Temo pela próxima época", admite o antigo deputado e ex-candidato a vice-presidente nas últimas eleições nas listas de Nuno Sousa, lamentando a forma como, por exemplo, Islam Slimani está a ser tratado por Rúben Amorim. "Não acredito que um só jogador possa abalar uma estrutura que se tinha como sólida, com bem pensada e organizada. É desculpa de mau perdedor", disse Hélder Amaral sobre o 'caso' do argelino que ficou de fora do jogo no Dragão por opção de Amorim, que avisou o plantel que só convoca quem treina no máximo.

De resto, Slimani já respondeu ao treinador e através das redes sociais já disse que o compromisso nos treinos é total "mesmo sem comer e beber" por conta do Ramadão.

Para Hélder Amaral, é necessário olhar para o atual momento do Sporting com reservas. "O que me custa mais é que isto pode ser algo de mais grave para a próxima época e obviamente, pelos vistos, o Rúben Amorim não é eterno e o que fica é quase nada", declarou o antigo deputado, em declarações na rádio pública Antena 1.

Esperançado que o plantel possa dar a volta ao mau momento, Hélder Amaral não esconde que teme que possa não acontecer essa situação desejada por si. "Esperemos que seja só um momento, mas temo que é mais que isso".

Em relação à época do Sporting, Hélder Amaral reconhece que não esperava que o emblema de Alvalade pudesse ser bicampeão nacional.

"A verdade é como o azeite e começa a vir ao cima, houve um epifenómeno, houve um momento feliz, houve um momento Rúben Amorim e esse momento, para que se possa perceber que não foi sorte e epifenómeno, precisava de sinais de que havia ali algo pensado, estratégico, consolidado e um plano", detalhou.

Ainda assim, o antigo deputado sustenta que não é isso que se tem verificado. E além disso, sobram críticas para Frederico Varandas.

"Nem o presidente Frederico Varandas tem a coragem, visão, sabedoria e a capacidade de gestão que a comunicação do Sporting quer fazer crer e é por isso que houve exageros para lá do razoável, direi eu, no ataque a Jorge Nuno Pinto da Costa, apesar de todos nós subscrevermos uma ou outra afirmação sobre o presidente do FC Porto antes das eleições para provar que tínhamos líder, e agora temos um presidente que teve entradas de leão e saídas de sendeiro".

Hélder Amaral admite que o presidente do Sporting saiu "humilhado" perante o presidente do FC Porto e lamenta essa situação. "Saiu humilhado e custa-me", referiu, destacando que, nos maus momentos, "Frederico Varandas prima pela ausência".