Prolongamento
"Pegar no Sporting em nono e acabar em quarto não é assim tão mau", diz Silas
2021-09-04 19:00:00
Antigo treinador verde e branco durou pouco no cargo que lhe foi confiado por Varandas

Antigo treinador do Sporting, Jorge Silas reconhece que a classificação que deixou em Alvalade, na altura da sua saída, não representa o histórico do emblema leonino. Porém, o ex-técnico do Sporting lembra que, quando aceitou o convite de Frederico Varandas, as coisas não corriam pelo melhor ao nível da classificação no campeonato para a turma lisboeta.

"Ficar em quarto lugar no Sporting não é bom, mas pegar no Sporting em nono e acabar em quarto não é assim tão mau", reconhece Jorge Silas, atualmente sem clube, depois que deixou o Famalicão, na última época, após seis jogos realizados no comando técnico do emblema minhoto, a aventura que se seguiu para Silas após ter deixado o Sporting.

O treinador, atualmente com 45 anos, entende que não deveria ter assinado pelo Famalicão e diz mesmo que tal projeto entrou na sua vida depois de uma "decisão precipitada".

"Não acho que tenha sido um mau trabalho, mas marca porque foi um mês", diz Silas, lembrando que "o plantel era bom", ainda assim. Mas apareceram alguns problemas.

"Mas tivemos oito reforços que vinham quase todos sem jogar. Não me sinto responsável pela classificação do Famalicão porque não tivemos tempo", justifica Silas, em declarações ao portal newmen, onde deu conta das dificuldades que sentiu naquele que foi, até agora, o seu projeto mais mediático - treinar o Sporting.

"Há coisas que só quando passas por elas começas a pensar. Preparar uma equipa para jogar de três em três e quatro em quatro dias é mais difícil", faz notar Silas que, antes do Sporting, tinha treinado a equipa do Belenenses SAD.

O técnico refere que a sua experiência, antes de aceitar o convite de Frederico Varandas, passava por preparar equipas para jogar de semana a semana.

"Nós estamos preparados para treinar uma equipa de semana a semana. Essa foi a parte em que eu não estava tão preparado porque nunca tinha passado por isso enquanto treinador".

A este respeito, Silas lembra que foi em sequências de vários jogos no calenário 'apertado' que o 'seu' Sporting acabou por ceder terreno face aos adversários em campo.

"Foi a seguir aos jogos das competições europeias que nós perdemos alguns pontos, sobretudo fora de casa", identificou Jorge Silas, sublinhando, em jeito de exemplo, que quando uma equipa se prepara para jogar na Champions e depois tem de enfrentar um duelo do campeonato precisa de mudar rotinas.

"Preparas a equipa para jogar com o Manchester City e depois vais jogar com o Tondela. Não vais jogar da mesma forma", avisa Jorge Silas, notando que a sua carreira de treinador teve uma subida "rápida" de escalão.

"Nunca pensei que começasse a treinar logo na I Liga e muito menos pensei que, passados 20 meses, estaria no Sporting", referiu Silas, em alusão ao trabalho que já desempenhou quer no Belenenses SAD quer em Alvalade.

Para o treinador, atualmente sem clube, tratou-se de "uma subida grande e muito rápida". "Hoje em dia sou muito mais treinador do que quando comecei", considera Silas.

Tags: