Prolongamento
"Para reflexão: dos últimos quatro presidentes do Benfica só um não foi detido"
2021-10-12 16:00:00
"Isto não pode ser por acaso", defende Adão e Silva que espera conhecer capítulos sobre questão da OPA da SAD

O tempo de Luís Filipe Vieira no Benfica "acabou", mesmo que o ex-presidente admita que vai 'andar por aí' atento à vida do clube da Luz. A crença é de Pedro Adão e Silva, opositor do modelo de governação de Vieira, que confia que o empresário não terá mais oportunidades de entrar na administração benfiquista no futuro.

"O Luís Filipe Vieira na declaração sugere um regresso mas Luís Filipe Vieira acabou, é parte do passado", afirmou Pedro Adão e Silva, sustentando que a participação em massa de sócios no último ato eleitoral serve de resposta à declaração do ex-presidente a respeito da democracia no clube da Luz.

"É um juízo moral que os benfiquistas fazem do papel desse senhor enquanto presidente do Benfica. Os benfiquistas disseram que querem mais democracia e não menos", observa o conhecido associado que chegou a concorrer a vice-presidente do clube, em 2020, na lista de Noronha Lopes.

Pedro Adão e Silva realça que os benfiquistas "querem participar na vida do Benfica de forma organizada e com regras". "A vitalidade do clube depende disso", refere o associado, na leitura que faz da forte adesão de benfiquistas à votação.

Em comentário na Sport TV, Pedro Adão e Silva sugere aos benfiquistas para que façam uma reflexão e pensem no que tem acontecido aos ex-presidentes do emblema da Luz.

"É motivo de reflexão que dos últimos quatro presidentes do Benfica só um não tenha sido detido e não tenha tido problemas com a justiça. Isto não pode ser por acaso."

Para Pedro Adão e Silva, "há qualquer coisa no modelo de governação, no funcionamento do clube, que permite que pessoas cujo comportamento é moralmente duvidoso ocupem cargos de responsabilidade no Benfica".

Além disso, o conhecido sócio das águias disse ainda que, após ouvir as declarações de Vieira no pavilhão da Luz após a votação, pode concluir que ele "queria mandar no Benfica e capturar o clube e os seus interesses, prejudicando o Benfica".

Aqui chegados, Pedro Adão e Silva entende que há temas que devem ser debatidos pelos associados como o funcionamento das assembleias mas também a questão dos estatutos ou a remuneração de quem ocupa cargos na administração encarnada.

Uma das coisas que Pedro Adão e Silva não viu debatida mas que gostaria era a questão da Oferta Pública de Aquisição que a CMVM travou, anteriormente.

Para o associado Pedro Adão e Silva, "não há nada tão revelador do que era a presidência de Luís Filipe Vieira como o tema da Oferta Pública de Aquisição", sendo que o sócio espera ainda para ver o que serão os futuros capítulos da situação do investidor John Textor, até porque, em relação ao norte-americano, Adão e Silva diz suspeitar que existem "muitos capítulos anteriores desconhecidos."