Prolongamento
"O que é que é preciso fazer? Dar um tiro a um dirigente adversário?"
2022-06-17 12:50:00
Antigo vice-presidente do Benfica lamenta decisões do Conselho de Disciplina da FPF

O antigo vice-presidente do Benfica, João Braz Frade, diz que não compreende a moldura de castigos aplicados aos intervenientes na sequência dos desacatos que Frederico Varandas, presidente do Sporting, se queixou de ter sido vítima nas garagem do Estádio do Dragão, após o jogo do campeonato entre FC Porto e Sporting, realizado em fevereiro.

"Eu sou franco. Com uma pena tão leve vai permitir-se tudo daqui para a frente", reagiu o antigo dirigente encarnado, dizendo que, após estes castigos aplicados pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, daqui em diante não sabe o que mais será necessário ser feito.

"O que é que é preciso fazer? Dar um tiro a um dirigente adversário para levar a pena máxima? Isto é absolutamente patético", admite João Braz Frade.

O antigo vice-presidente das águias diz que não quer, com isto, pedir um castigo maior ou menor para figuras do FC Porto. Pretende, sim, diz Braz Frade, que os regulamentos sejam "razoáveis".

"Eu não quero que o FC Porto seja mais castigado ou menos castigado. Quero é que os regulamentos sejam razoáveis. Não é razoável um presidente de um clube estar na conferência de imprensa, não ter liberdade de expressão, porque o adversário não lhe permite, e ter pessoas que lhe tiram as coisas da mão", comentou João Braz Frade.

Recorde-se que Frederico Varandas queixou-se às instâncias de disciplina que ficou sem a carteira com documentos e o telemóvel na sequência dos desentendimentos na garagem do Estádio do Dragão.

"Isto tudo é absolutamente inacreditável mas mais inacreditável que isto tudo são as penas serem cumpridas no verão. A nossa Federação Portuguesa de Futebol tem coisas do outro mundo", completou João Braz Frade, que falava em declarações na CMTV.

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), recorde-se, divulgou os castigos saídos na sequência dos incidentes ocorridos na garagem do Estádio do Dragão após o embate entre FC Porto e Sporting, em fevereiro, a contar para o campeonato, que terminou com empate dentro das quatro linhas.

Após a queixa apresentada por Frederico Varandas, presidente dos leões, o organismo federativo decidiu aplicar castigos ao assessor de imprensa dos azuis e brancos, Rui Cerqueira, e ao vice-presidente e administrador da SAD dos dragões, Vítor Baía. Já o treinador Sérgio Conceição acabou ilibado.

De acordo com o CD da FPF, a prova produzida coloca o treinador dos portistas próximo de Frederico Varandas, mas "não permite uma clara e inequívoca determinação do teor das palavras por si eventualmente proferidas".