Prolongamento
"O porquê da ausência do Pizzi é algo que está por se perceber no Benfica"
2022-01-26 22:20:00
Antigo avançado encarnado Rui Águas estranha pouca utilização de um dos capitães

Pizzi é um dos capitães do balneário do Benfica, representando o emblema encarnado há várias épocas. Porém, nos últimos tempos, o camisola 21 perdeu espaço e protagonismo entre as opções, primeiro, de Jorge Jesus, e agora de Nélson Veríssimo. Pese embora ter menos minutos de utilização do que já teve no passado de águia ao peito, o bragantino vai mostrando capacidade nas assistências para golo, quando não é ele próprio a decidir a favor das águias.

Em todo o caso, a ausência de Pizzi entre as opções dos treinadores do Benfica tem gerado algum tipo de dúvida em algumas figuras ligadas ao passado do clube da Luz, como é o caso de Rui Águas, ex-avançado benfiquista, filho do eterno José Águas, capitão da equipa do Benfica que ficou lendária nos anos 60.

"É algo que está por se perceber o porquê desta ausência de um dos jogadores mais importantes, se não é o mais importante das últimas épocas do Benfica", comentou Rui Águas, na RTP 3, fazendo notar, por exemplo, que na final four da Taça da Liga, Pizzi "em pouco tempo mostrou" créditos.

Com ou sem Pizzi no onze, a verdade é que o momento que o Benfica atravessa tem gerado desconforto entre os benfiquistas que esperariam ver mais da sua equipa.

Para o antigo vice-presidente José Manuel Antunes, a formação lisboeta ainda sente "sequelas do péssimo trabalho" de Jorge Jesus, treinador que saiu da Luz no final de dezembro de 2021.

Por outro lado, em declarações na Renascença, o antigo dirigente encarnado sustentou que Jorge Jesus "deixou um rasto de mediocridade enorme" na equipa das águias e, por si, não teria voltado ao Benfica.

"Nunca devia ter voltado para o Benfica", assegurou José Manuel Antunes, certo de que a contratação de Jorge Jesus ao Flamengo revelou-se um "erro de 'casting' extraordinário".

Mas não só, dado que, para José Manuel Antunes, o trabalho de Jorge Jesus no seu regresso ao Benfica acabaria por se refletir, a seu ver, num "grande atraso na vida e na história do clube".

Além disso, e agora que Jorge Jesus já faz parte do passado, para José Manuel Antunes, seria importante que o balneário tivesse noção de que no Benfica não chega vencer.

"A vitória é o mais importante, mas para o Benfica não basta ganhar. Queremos sempre encher o olho com boas exibições", indicou o antigo dirigente do emblema lisboeta José Manuel Antunes.