Prolongamento
"O nosso juízo moral muda quando se trata do nosso clube", diz Poiares Maduro
2020-04-23 15:10:00
Ex-dirigente da FIFA comenta artigo do New York Times sobre as alegadas ligações do Benfica ao sistema judicial

Miguel Poiares Maduro, antigo dirigente do Comité de Governação da FIFA e ex-ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, não ficou indiferente ao artigo do New York Times (NYT) sobre as alegadas ligações entre o Benfica e o sistema de justiça.

Já depois da resposta oficial do Benfica, que fala em "inveja" e 'teorias', o ex-dirigente da FIFA, assumidamente sportinguista, pronunciou-se através das redes sociais sobre o novo título do artigo, "O clube de futebol como Estado soberano".

Antes da reação do Benfica, o NYT referia no título o sorteio de um juiz adepto do Benfica para presidir ao julgamento de Rui Pinto, no processo Football Leaks.

De acordo com o ex-ministro, o novo título do artigo serve "para fazer pensar".

"O nosso juízo moral muda quando se trata de alguém que nos é próximo ou do nosso clube", salientou Miguel Poiares Maduro, lembrando publicamente que é adepto do Sporting.

O antigo dirigente da FIFA acrescentou que, nesses momentos de perturbação do juízo moral, "às vezes serve o espelho que o distanciamento dos outros nos oferece".

Recorde-se que Miguel Poiares Maduro foi "afastado" da FIFA, segundo o próprio, por não ter "cedido a pressões" num trabalho que visava alterar uma "cultura instalada há décadas que é resistente ao escrutínio e à transparência".

Em janeiro deste ano, o ex-ministro tinha criticado publicamente a justiça portuguesa pela "má imagem" que dava no estrangeiro por se focar em "investigar Rui Pinto ignorando tudo o que está à volta".

Veja também todas as respostas na íntegra enviadas pelo Benfica ao New York Times.