Prolongamento
"Nunca ataquei o Benfica. Ataquei aqueles que se servem do Benfica"
2020-09-21 09:25:00
Ana Gomes garante ainda que, para ela, "o Benfica não é uma religião"

Candidata à Presidência da República, Ana Gomes assegurou que avança para a corrida eleitiral com o firme objetivo de querer "limpar isto tudo dos donos disto tudo".

De seguida, em declarações no programa Isto é Gozar com Quem Trabalha da SIC, Ana Gomes garantiu ainda que, apesar das críticas que tem feito a Luís Filipe Vieira, nada a move contra o clube da Luz.

"Nunca ataquei o Benfica. Ataquei aqueles que se servem do Benfica para fazer negócios escuros à conta dos portugueses e dos adeptos do Benfica", afirmou Ana Gomes.

Na entrevista a Ricardo Araújo Pereira, a antiga eurodeputada socialista sustentou ainda que, para si, "o Benfica não é uma religião".

"Há muitos que dizem que é uma nação", citou Ana Gomes, mostrando depois uns fatos do Benfica que Gomes referiu que usou em tempos quando andava na ginástica e na patinagem.

Ana Gomes insistiu que não guia o seu discurso público no sentido de "atacar o Benfica" mas procura "denunciar a corrupção e a criminalidade que se aproveita dos clubes de futebol para lavar dinheiro".

Na entrevista, e questionada por Ricardo Araújo Pereira sobre o apoio de António Costa à recandidatura de Luís Filipe Vieira ao Benfica, apoio esse entretanto retirado pelo líder das águias, Ana Gomes assumiu que "não precisa de comissões de honra".

"Sou uma pessoa honrada, não preciso de uma comissão de honra. E acho que o primeiro-ministro também não precisava".

Sobre o apoio a Rui Pinto, Ana Gomes lembra que o hacker denunciou "crimes gravíssimos dos donos disto tudo".

"Acho que a justiça terá de avaliar se ele cometeu erros mas também o serviço público que prestou."