Prolongamento
"No FC Porto os custos de intermediação normalmente são bastante elevados"
2022-06-17 14:50:00
Oposição de Pinto da Costa descontente com abordagem ao mercado de transferências

O plantel do FC Porto está em mudanças com os associados a temerem uma "sangria" entre as opções de Sérgio Conceição. José Fernando Rio, antigo candidato à presidência dos azuis e brancos, diz que Pinto da Costa "tem enchido muito a boca com números" e dito que os jogadores saem pela cláusula mas os adeptos nota que "isso não é verdade".

"O administrador financeiro já tinha anunciado a necessidade de realizar entre 70 a 100 milhões de euros de mais-valias neste exercício e eu já estava à espera que a sangria começasse", admitiu José Fernando Rio, realçando que é necessário a estes valores subtrair as verbas destinadas às comissões que ficam envolvidas neste tipo de operações no mercado de transferências de jogadores.

"Obviamente que temos de descontar os custos de intermediação. No FC Porto nunca sabemos se são altos ou baixos, mas normalmente até são bastante elevados", referiu José Fernando Rio, ouvido pela Rádio Renascença, onde aproveitou também para deixar críticas ao líder dos azuis e brancos, Pinto da Costa, contra quem concorreu no último ato eleitoral no emblema da Invicta.

"O presidente Pinto da Costa tem enchido muito a boca com números, de que o FC Porto tem uma situação que permite negociar jogadores só pela cláusula de rescisão e vemos que isso não é verdade", lembrou José Fernando Rio, mostrando-se desagradado com o atual contexto.

Por outro lado, o antigo candidato à presidência do FC Porto e ex-comentador do Porto Canal teme que Sérgio Conceição possa ficar desagradado com as vendas da administração portista.

"Imagino que neste momento o Sérgio Conceição esteja bastante irritado", admitiu José Fernando Rio, sublinhando que, agora que os azuis e brancos não estão sob alçada do fair-play financeiro da UEFA, "poderia investir mais na competitividade da equipa".

No entanto, José Fernando Rio teme que Sérgio Conceição, tal como os adeptos e sócios do FC Porto, comecem "a ver os principais jogadores saírem".

"Temo que isto possa ter algum peso na sua vontade de permanecer ou de sair do clube", avisou o antigo candidato à presidência do FC Porto.

Os dragões têm enfrentado nos últimos tempos muitos problemas financeiros, tendo obrigado a SAD portista a algumas vendas por valores inferiores às cláusulas de rescisão dos jogadores como foi o caso de Luis Díaz que, em janeiro, rumou ao Liverpool por 45 milhões de euros, um valor inferior à cláusula de rescisão do cafetero que era de 80 milhões de euros.