Prolongamento
Medina reage mal às perguntas da TVI sobre apoio a Vieira
2020-09-15 13:15:00
"Se fosse outra candidatura, de outro clube, já não haveria problema?”, questionou, confrontando a repórter da TVI

Fernando Medina reagiu ao ataque, no espaço de comentário na TVI, numa reação às críticas sobre a sua inclusão na comissão de honra da candidatura de Luís Filipe Vieira. 

O autarca de Lisboa começou por recordar que esta decisão de integrar aquela comissão ocorreu há quatro anos e que, nessa altura, não houve qualquer polémica.

“Eu já fazia parte da comissão de honra há quatro anos. Tal como o primeiro-ministro. E não me recordo de uma única notícia a esse respeito, há quatro anos. Nenhuma”, assinalou.

Confrontado com os desenvolvimentos verificados nestes quatro anos, em particular os casos judiciais que envolvem o presidente do Benfica, Fernando Medina contrapõe:  

“No meu entendimento, participar na vida eleitoral de um clube de que faz parte é algo que, na liberdade de cada cidadão, não tem qualquer incompatibilidade. Não vejo eu, que já fiz parte dessa comissão, nem o primeiro-ministro. Não tem qualquer influência na minha capacidade institucional e na forma como exerço as minhas funções”, defendeu Medina.

Fernando Medina reagiu mal às perguntas que lhe foram colocadas, na TVI, e considerou que existiu um preconceito, ou um juízo de valor, relativamente a Luís Filipe Vieira.

“A crítica sobre isto é uma matéria pessoal ou política, não pode variar mediante a simpatia sobre o candidato escolhido”, disparou.

“Nunca escondi que era do Benfica. Não sou daquela geração de políticos que eram todos da Académica… Não sou da Académica. Sou do Benfica”, acrescentou, com ironia.

O presidente da Câmara de Lisboa realça que “hoje em dia, tudo é tema”. Respeitando essas opções, mesmo as editoriais, Medina aborda o momento em que “termina a liberdade do cidadão e começa o bloqueio institucional”.

“Fui muito claro. Defendo que um titular de cargos públicos não deve ocupar lugares diretivos”, disse.

Ao falar de ética, Fernando Medina continuou ao ataque, perante a jornalista da TVI. “No cariz ético, implica da parte de quem coloca a pergunta um juízo de valor. Se fosse outra candidatura, de outro clube, já não haveria problema?”, confrontou a repórter.

“Vejo muitas notícias de jornais, vejo tudo o que se passa. Mas mau seria sequer imaginar que alguma coisa no funcionamento da Justiça colidiria com o facto de eu ter algum apoio a um candidato concreto”, apontou.

Fernando Medina reitera que o apoio a Vieira e o facto de ser adepto do Benfica “nunca prejudicou a relação institucional com outros clubes". "Fui sempre imparcial na minha atuação como presidente da Câmara", sublinha. 

“O que muda é uma certa perceção, o sentimento de algumas pessoas e também a apreciação de alguns a uma candidatura", acusa, subentendendo-se nessas palavras que existe um preconceito relativamente a Luís Filipe Vieira.