Prolongamento
João Loureiro era um dos passageiros de avião que tinha 500 quilos de cocaína
Redação
2021-02-18 21:45:00
Ex-presidente do Boavista está "a viver um autêntico filme", avança a SIC

João Loureiro, ex-presidente do Boavista, era um dos passageiros de um avião onde foram apreendidos 500 quilos de cocaína, no passado dia 10 de fevereiro, na cidade de Salvador, no Brasil, segundo a SIC.

O ex-dirigente, que pretendia regressar a Portugal, garantiu ser “completamente alheio” ao caso, de acordo com a estação televisiva.

João Loureiro continua retido no Brasil, a “viver um autêntico filme”, enquanto aguarda para prestar declarações às autoridades brasileiras.

“As investigações continuarão para identificar os responsáveis pela carga ilícita, que poderão responder pelas acusações de tráfico internacional de drogas e associação com o narcotráfico, cujas penas combinadas podem chegar a 25 anos de prisão”, adiantou a Polícia Federal, num comunicado citado pela SIC.

A cocaína foi descoberta no avião, propriedade de uma empresa privada de serviços de transporte aéreo, devido a uma denúncia feita por mecânicos.

De acordo com o Jornal de Notícias, João Loureiro e um cidadão espanhol de origem argelina eram os únicos passageiros que já tinham embarcado no momento da intervenção policial.

Nenhum passageiro foi detido, pois as autoridades não conseguem imputar-lhes qualquer responsabilidade pela carga ilícita.