Prolongamento
"Houve uma altura em que era suposto eu aparecer morto", diz Bruno de Carvalho
Redação
2021-01-05 14:35:00
Ex-dirigente fala de uma “campanha”, que “não é brincadeira”, que resulta da sua investida contra os fundos e outros int

Bruno de Carvalho revelou que houve uma “campanha” em curso, que tinha como objetivo transmitir a ideia de que “se aparecesse morto, teria sido suicídio”, sugerindo que o seu combate contra interesses no futebol esteve na base dessa mesma campanha, cujo fim supremo era vê-lo “morto e enterrado”. 

Num podcast do FmCafé, o ex-presidente leonino realça que alguma comunicação social fez questão de enfatizar a ideia de que era sua vontade cometer suicídio. 

Lembro-me de que se começou a enfatizar o facto de eu querer cometer suicídio. E isto não é brincadeira. Houve uma estratégia clara para, se um dia eu aparecesse morto, as pessoas acharem normal. Houve uma altura em que era suposto eu aparecer morto, a boiar, e que teria sido eu. A campanha de que estamos a falar chegou a estes índices. Ao índice que, no dia em que se o Bruno de Carvalho aparecer morto, foi o Bruno que se matou”, conta. 

Não foi alguém que lhe fez mal”, prossegue Bruno de Carvalho, que justifica esta investida: “Não foi ele que se meteu com o VAR, com os fundos?... O que se veio a descobrir sobre os fundos Doyen? Estão a ver onde é que o presidente do Sporting se meteu?”, questiona Bruno de Carvalho, que associa essa alegada campanha que chegou a questões pessoais, que nada tinham que ver com a sua presidência.   

Bruno de Carvalho lembra as “questiúnculas”, que envolveram falsos problemas familiares. “Tivemos uma campanha, onde se chegou a este tipo de questiúnculas. Já não falo do mau pai, do homem que batia na mulher, do pai que batia nos filhos, que bebia... Passou-se às pessoas a ideia de que eu me iria matar. Era limpinho”, refere ainda o ex-presidente do Sporting.  

O ex-dirigente considera que se moveu sempre num campo ‘minado’ e não acredita que o tempo faça justiça à sua missão como presidente do Sporting:  

Está na altura de que o mundo do futebol reconheça a importância que o Bruno de Carvalho teve. No entanto, isto é a mesma coisa que um imbecil perceber que é imbecil. Portanto, não tenho esperança nenhuma de que o mundo do futebol reconheça nada. Nem tenho esse interesse”, diz.  

“As pessoas perceberam o que se passou. E internacionalmente o meu nome não foi afetado. Pelo contrário, o meu trabalho foi reconhecido. Em Portugal, sinto que as pessoas perceberam o que se passou”, complementa Bruno de Carvalho.