Prolongamento
“Há pessoas que trabalharam com Vieira que lhe devem uma mensagem de apoio”
2021-07-21 14:10:00
Manuel Brito compreende distanciamento da direção, mas não de “pessoas que Vieira ajudou” 

Um dos fundadores do movimento ‘Benfica Bem Maior’, Manuel Brito, considera que algumas pessoas que integram a direção do clube da Luz devem uma palavra de gratidão a Luís Filipe Vieira. Não obstante compreender o posicionamento da direção do Benfica, nesta altura, o filho do antigo presidente Jorge de Brito fala em gratidão, de que o ex-presidente é credor, por parte de alguns elementos da direção encarnada. 

“Luís Filipe Vieira não deve estar numa situação fácil. Acredito que ele esteja sozinho e sinta a falta de apoio da direção. Mas temos de ver uma coisa: a direção atual tem como missão principal defender o Benfica. E se o Benfica naquelas acusações é o lesado, esta direção tem de defender o clube. Pode ser uma das razões pelas quais houve este distanciamento”, começa por dizer, em declarações à Renascença. 

No entanto, esse distanciamento institucional não impede que alguns dirigentes sejam gratos ao ex-presidente. “Há pessoas que trabalharam tantos anos com Luís Filipe Vieira, que ele ajudou tanto, que devem, de uma forma ou de outra, passar uma mensagem de apoio, solidariedade. Até prova em contrário, há a presunção de inocência”, acrescenta. 

Manuel Brito adianta ainda que o movimento pronto a avançar para eleições. Apesar de não ter apresentado um candidato no último ano eleitoral, há agora condições para o fazer.  

“Estamos a trabalhar há mais de um ano. Nunca deixámos de trabalhar. O ‘Benfica Bem Maior’ tem praticamente um ano de existência. Começou com o Braz Frade e comigo e foi reunido um grupo de pessoas fantásticas, mais de 107 membros. Em setembro, começámos a trabalhar afincadamente no projeto. Não apresentámos candidatura porque não basta apresentar uma lista, é preciso ter um projeto. E agora estamos preparados para avançar”, anuncia. 

Este movimento propõe-se reunir com João Noronha Lopes, no sentido de encontrar pontos em comum nos respetivos projetos. Desde logo, uma atualização dos estatutos. 

“Os estatutos estão completamente ultrapassados. A última atualização foi em 2010 e há uma série de coisas que não fazem sentido. Tiram democracia ao Benfica. João Noronha Lopes está a organizar uma comissão, liderada pelo Bagão Félix. Lanço o repto a eles todos, para nos reunirmos e revermos o que temos em comum”, revela. 

Num olhar à realidade encarnada, Manuel Brito manifesta apreensão, preocupação, mas confiança de que esta crise será ultrapassada e será mais uma página a marcar a história do emblema encarnado.  

“A situação atual é de grande tristeza e desilusão para todos os benfiquistas. Estamos todos preocupados. Provavelmente, este é um dos momentos mais negros da história recente do Benfica. Mas um clube com 117 anos vai ultrapassar isto. Vai reerguer-se nos próximos tempos”, conclui, nesta mesma declaração à Renascença.