Prolongamento
"Às vezes tenho dificuldade para traduzir as declarações do meu treinador"
2021-10-22 11:10:00
Antigo vice-presidente das águias manifesta "desgosto" pela derrota diante do Bayern

Jorge Jesus assumia antes de defrontar o Bayern, na Luz, que queria uma equipa virada para o ataque e a tentar discutir o resultado contra a formação da Baviera, embora reconhecendo o poderio do conjunto germânico. O 4-0 final no marcador deixou um 'amargo de boca' entre os benfiquistas e reparos para o discurso de Jorge Jesus.

João Braz Frade, antigo vice-presidente das águias, diz que, por vezes, tem dificuldades em interpretar as declarações de Jorge Jesus. "Às vezes tenho dificuldade para traduzir as declarações do meu treinador. Nem eu consigo decifrar o que lhe vai na alma", admitiu.

O antigo dirigente do Benfica realça, ainda assim, que não é Jorge Jesus que lhe causa qualquer tipo de ansiedade nesta altura. "Não é o treinador que me causa ansiedade. Nenhuma. O que me causa desgosto é levar quatro do Bayern", reconheceu João Braz Frade, lembrando que os rivais encarnados não têm também motivos para 'brincar' com as águias a respeito da goleada sofrida diante dos bávaros.

"O Sporting levou cinco do Ajax, em casa, o FC Porto levou cinco do Liverpool [no Estádio do Dragão]. Nós só levamos quatro do Bayern [no Estádio da Luz] que é muito melhor que esses dois juntos. Eu não gosto de perder", declarou João Braz Frade, em declarações na CMTV, num painel que contava também com o ex-dirigente leonino Carlos Barbosa da Cruz que deixou reparos à forma como Jorge Jesus lançou a partida diante do Bayern.

"Esse tom de agressividade só se pode explicar com algum ressentimento que tenha e eu compreendo. Se eu tivesse um treinador que andou a anunciar antes do jogo que ia jogar olhos nos olhos e que, no fundo, dava a ideia aos benfiquistas de que ia ganhar e depois ter de meter a 'viola no saco' também ficava um bocadinho aziado. Eu compreendo", declarou Carlos Barbosa da Cruz.

"Eu compreendo o discurso do Jorge Jesus. É o discurso típico do criador. Só que é um discurso perigoso", acrescentou o antigo dirigente verde e branco, aludindo a palavras recentes de Jorge Jesus que falou que no futebol há um grupo de treinadores que criam e outros que copiam as ideias e estratégias.

Barbosa da Cruz diz que após a goleada sofrida perante o Bayern e na sequência do que tinha dito, Jorge Jesus "teve de enfiar a 'viola no saco' e andar com argumentos esfarrapados que não ficam bem". "O treinador do Benfica andou a anunciar que era olhos nos olhos e que o Bayern não ia marcar golos. Olhe, viu-se."

Carlos Barbosa da Cruz realçou ainda que acredita que as águias podem aspirar a uma passagem para a próxima fase da prova milionária. "Vamos ser claros: neste momento, a equipa portuguesa com mais chances de qualificação é o Benfica".

O Benfica está nesta altura em segundo lugar do seu agrupamento, atrás do Bayern, e na frente quer dos catalães do Barcelona quer dos ucranianos do Dínamo Kiev.

Na próxima jornada, o Benfica de Jorge Jesus tem deslocação agendada à Baviera para voltar a medir forças contra o Bayern de Julian Nagelsmann.