Prolongamento
Direção de Bruno de Carvalho "inverteu a perigosa tendência de definhamento"
2021-11-03 17:00:00
Ex-dirigente dos leões lamenta críticas que se fazem a figuras que serviram os leões na 'era' Bruno de Carvalho

Antigo dirigente do Sporting, Bruno Mascarenhas diz que não gostou dos comentários feitos pelo também ex-dirigente verde e branco Henrique Monteiro, com considerações sobre gente que já serviu a estrutura verde e branca, nomeadamente na 'era' de Bruno de Carvalho. Para Mascarenhas, é com "tristeza" que percebe que "continuam a existir clivagens no Sporting" e que ainda "há vozes com responsabilidade que insistem em criar divisões que são escusadas."

Na base do descontentamento de Bruno Mascarenhas estão as palavras de Henrique Monteiro que salientou que "dentro do Sporting há um outro clube constituído por sócios que não sabem mais do que se tornar maçadores", realçando que, na última Assembleia Geral, se tinha cruzado "com um deles, membro da Direção de Bruno de Carvalho" e falando em "maçadores".

Bruno Mascarenhas sustentou ainda que não se revê nas palavras de Henrique Monteiro, nomeadamente em relação às claques e à visão que o ex-dirigente tem sobre os grupos organizados de adeptos.

"Bandidos há em todo o lado e esses deixemos para a polícia. Que a Justiça funcione. Agora não se confundam alguns bandidos infiltrados com a maioria dos adeptos que são excelentes pessoas".

E se Henrique Monteiro diz que "há cerca de 400 sócios que monopolizam a palavra nas Assembleias Gerais e acham tudo errado, tudo mal, tudo usurpado, tudo roubado", Mascarenhas diz que é preciso ter outra abordagem.

Em artigo de opinião que assina no portal Leonino, Bruno Mascarenhas diz que não aponta o dedo a quem gosta de ir ver os jogos do Sporting para o meio das claques.

Além disso, o antigo dirigente revela que nunca sentiu qualquer tipo de ameaça quando era dirigente ou mesmo agora na condição de antigo dirigente dos leões quando acompanha as equipas leoninas.

Depois de deixar elogios a alguns vice-presidentes de Bruno de Carvalho, Bruno Mascarenhas realça ainda que teve "o maior orgulho" por ter estado com essa equipa.

Mascarenhas refere que coube a esses dirigentes um trabalho "que inverteu a perigosa e quase crónica tendência de definhamento, recuperou o espírito e a garra de vencer, trouxe património, dinheiro e títulos ao clube". Perante isso, Bruno Mascarenhas diz que "todos eles merecem respeito" por parte dos adeptos do Sporting.