Prolongamento
"Conceição não precisa de escudos protetores. Sabe o que quer e para onde vai"
Redação
2021-06-11 11:30:00
Antigo vice-presidente do FC Porto em entrevista ao Bancada sobre a renovação do treinador

Sérgio Conceição segue firme no FC Porto, agora com contrato renovado. O clube mexe com ele, com o que tem dentro, como faz questão de reiterar. E a sua forma de ser e estar mexe com os adeptos e com Pinto da Costa. Quatro anos passaram e o presidente queria mais. E terá mais. Atualmente, muitos dizem que o FC Porto é Sérgio Conceição e Sérgio Conceição é o FC Porto. Porque Sérgio Conceição, nascido em Ribeira de Frades, a poucos quilómetros de Coimbra, nunca negou a ligação ao emblema portista, que o ajudou a formar, e o carinho pela cidade onde o Douro encanta até se cruzar com o Atlântico.

Durante alguns dias, pairou a dúvida sobre a continuidade, ou não, de Sérgio Conceição. Em jeito de brincadeira e ao seu estilo, Pinto da Costa, no momento da oficialização da renovação do novo contrato, disse que o treinador tinha dado uma volta à Europa, em alusão às notícias de mercado, tão características nesta altura do ano, sobre clubes interessados nos serviços de Conceição. "Esteve em Roma, em Nápoles, em Sevilha...". Mas é na cidade Invicta que vai continuar e ao serviço do FC Porto, um clube que ajudou a colocar na alta roda do futebol internacional com campanhas de registo na Champions e ao travar um domínio que ia sendo fixado pelo Benfica.

Há até quem diga que desde que Sérgio Conceição voltou ao FC Porto "nunca mais se ouviu falar da hegemonia do Benfica". E a verdade é que logo no primeiro ano ao serviço dos dragões, travou o penta encarnado, deixando o emblema azul e branco com esse título de única equipa lusa a conseguir, até hoje, tal feito.

Pinto da Costa fala frequentemente de Sérgio Conceição com um carinho especial. Por isso, esta renovação colocará uma maior exigência a Pinto da Costa ou a Sérgio Conceição? Perante a dúvida, o Bancada conversou com um antigo vice-presidente do FC Porto. Paulo Ramalheira Teixeira, antigo membro da equipa diretiva de Pinto da Costa, não tem dúvidas de que esta renovação permitirá abrir uma "nova era" no Dragão, onde ninguém ficará mais pressionado que ninguém.

"Eu penso que não. Apesar de esta ser a primeira vez que um treinador tem mais épocas consecutivas no FCPorto, estou convencido que esta renovação vai provocar uma nova era e que o Sérgio Conceição ainda vai dar muitas alegrias aos sócios e adeptos do nosso clube", vaticina o antigo vice-presidente portista. 

Questionado pelo nosso jornal sobre que características identifica em Sérgio Conceição para que os adeptos olhem para ele como o técnico ideal para o clube, Paulo Ramalheira Teixeira, antigo autarca de Castelo de Paiva e uma das figuras mais mediáticas na defesa da região Norte, destaca a forma de viver o clube que Conceição tem. E em relação aos frequentes elogios que Pinto da Costa presta ao treinador, Paulo Ramalheira Teixeira considera que nota ali uma espécie de ligação de "pai e filho".

"Desde que assumiu as funções de presidente do clube, e ja lá vão mais de três décadas, o presidente Jorge Nuno Pinto da Costa tem liderado o processo das contratações dos treinadores da nossa equipa principal, e com uma taxa de sucesso muito grande. Por outro lado, Sérgio Conceição está desde muito novo (camadas jovens) ligado ao FC Porto e ao nosso presidente. Quase que posso dizer que vejo isto como uma relação de pai para filho, são mais de trinta anos de ligação profissional e desportiva, daí ver com muita naturalidade o que cada um diz do outro".

A viagem de Sérgio Conceição no FC Porto vai continuar e o treinador não esconde a alegria com isso. Porém, há coisas que o deixam triste, como algumas situações vividas na etapa final da última temporada, de tal modo que acabou por se remeter ao silêncio. Posteriormente, Conceição admitiu que o fez pois não queria "dar pedras aos inimigos".

Questionado pelo Bancada se acredita que a estrutura portista terá de 'criar' alguém para funcionar de 'escudo protetor' ao balneário para não ser sempre Sérgio Conceição a fazer essa função de forma pública, Paulo Ramalheira Teixeira diz que não acredita nisso e sustenta a sua ideia na forma de ser e estar do técnico.

"Toda a gente conhece as características do Sérgio Conceição, ele não precisa de escudos protetores e ele melhor que ninguém sabe o que quer e para onde vai", defendeu o antigo vice-presidente do FC Porto.

Para Paulo Ramalheira Teixeira uma coisa está 'clara como água'. "Sérgio Conceição é um treinador 'À Porto'", disse, concordando com o silêncio pelo qual optou o técnico.

"Considero que ele teve a postura correcta numa fase em que o FC Porto precisava de tranquilidade para poder alcançar o lugar de acesso à Liga dos Campeões e uma vez que ainda matematicamente era possível conquistar o título nacional."