Prolongamento
"Como se qualquer outro candidato fizesse frente a Frederico Varandas"
2021-12-23 10:40:00
"Que eles nunca sejam a repetição do que foi o triste consulado anterior", apela ex-dirigente verde e branco

O Sporting continua em alta e segue firme em todas as frentes. Desportivamente, a vida corre 'às mil maravilhas' para o conjunto orientado por Rúben Amorim. Com presença já assegurada nos oitavos de final da Liga dos Campeões, onde irá medir forças contra o Manchester City, os campeões nacionais seguem nos primeiros lugares da tabela no campeonato, têm passaporte assegurado para a final-four da Taça da Liga e continuam em prova na Taça de Portugal.

A aposta da direção liderada por Frederico Varandas em Rúben Amorim vai-se revelando cada vez mais acertada mas, se dentro de campo a vida vai bem para a administração verde e branca, fora das quatro linhas adivinham-se meses de muito trabalho com o ato eleitoral agendado para os primeiros meses do novo ano.

Nos bastidores, em Alvalade, os associados já se vão movimentando, conversando e alinhando ideias e estratégias, sendo que alguns associados mostram vontade em avançar para a corrida eleitoral.

Henrique Monteiro, antigo dirigente do Sporting, diz, em artigo assinado no jornal A Bola, que aguarda com expectativa o que aí vem nos próximos meses mas lá vai dizendo que Frederico Varandas, que ainda não disse se é ou não recandidato, deverá manter-se, sob a velha máxima de que em "equipa que ganha não se mexe".

"Como se uma direção que tem estes resultados desportivos e vai, aos poucos, recuperando a péssima situação financeira, ficasse fragilizada por Bruno de Carvalho ou Nuno Sousa [sócio que mostrou vontade de se candidatar e oficializou candidatura], ou mesmo qualquer outro candidato, fizesse frente a Varandas".

Henrique Monteiro concorda que Frederico Varandas poderá não ter todas as virtudes do mundo mas acredita ser merecedor da confiança dos sportinguistas no ato eleitoral.

"Com isto não digo que ele é o melhor presidente possível, e menos ainda que não comete erros. Claro que, como todos, não é isento de críticas. A questão é que conseguiu bons resultados e em equipa que ganha não se mexe", indicou o antigo dirigente do Sporting.

Henrique Monteiro, que ajudou o Sporting no processo de transição entre a saída de Bruno de Carvalho e o ato eleitoral vencido por Frederico Varandas, sustenta ainda que não quer o Sporting novamente num contexto como foi o "triste consulado" passado. "Que eles nunca sejam a repetição do que foi o triste consulado anterior".

O sufrágio para as eleições dos novos corpos sociais do Sporting vai realizar-se entre 1 de março e 30 de abril de 2022. Daí sairá o presidente do Sporting para o quadriénio 2022-2026.