Prolongamento
Centro de Estágio e sede da federação de Cabo Verde remodelados
Redação
2021-02-22 13:45:00
FIFA apoiou projeto que visa aposta na formação de jogadores

O Centro de Estágio e a sede da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), na cidade da Praia, foram completamente remodelados, tendo recebido um apoio da FIFA de 480 mil dólares, para apostar exclusivamente na formação do jogador cabo-verdiano.

 Inaugurado em maio de 2006, o Centro de Estágio integra a sede da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), um campo relvado e 20 quartos, e situa-se na zona baixa da cidade da Praia, em frente ao Palácio do Governo e da Avenida Cidade de Lisboa, ficando 'paredes meias' com o Estádio da Várzea.

O centro nunca tinha recebido uma recuperação como aquela que vem sofrendo desde junho do ano passado, estando agora de 'cara nova', desde a pintura, iluminação, entre outras valências, em que o destaque é a substituição da relva sintética do campo de treinos.

“Estavam mesmo a precisar de uma remodelação profunda”, reconheceu à agência Lusa o presidente da FCF, Mário Semedo, indicando que os operários estão a dar os últimos retoques para entregarem as obras nos próximos dias.

A remodelação foi financiada pela FIFA em 480 mil dólares, através do Projeto Forward, que apoia a criação de condições para a prática e desenvolvimento do futebol no mundo inteiro.

Mário Semedo destacou a relva sintética, que agora é de “melhor qualidade” e “mais moderna”, representando um “ganho enorme”, porque é usada sobretudo pelos escalões de formação.

“Os meninos vão ter um relvado de melhor qualidade, que lhes proporcione o aperfeiçoamento da técnica e, sobretudo, também já não constitui o perigo que constituía o piso anterior, que estava todo esburacado”, deu conta o representante máximo do futebol cabo-verdiano.

O presidente da FCF salientou ainda o embelezamento do espaço, com novas balizas, casas de banho, bancos de suplentes, e posteriormente vai ser instalada uma bancada amovível para melhor acomodação dos visitantes e dos acompanhantes das crianças nos treinos.

Para Mário Semedo, o centro vai ganhar novo dinamismo, com a retoma dos treinos brevemente, em condições sanitárias seguras. “Porque estão mesmo ansiosos”, pontuou o dirigente federativo, informando que são as escolas de formação que vão passar a gerir o centro de treinos, considerada a “casa” do futebol cabo-verdiano.

A partir de agora, Mário Semedo garantiu que o espaço vai servir fundamentalmente para formação, deixando de ser alugado aos serviços, numa perspetiva de rentabilizar o investimento.

“Talvez não venhamos a ter essa mesma política, porque o que pagam e para o que sai prejudicado não compensa. Preferimos focalizar na formação, que tem um ganho a médio e longo prazo”, mostrou o presidente da FCF.

Os quartos também estavam “muito degradados” e foram revirados, com recuperação das portas, balneários, equipamento de cama e as instalações elétricas.

“Por isso, creio que todo o centro e toda a sede ganharam uma nova abordagem”, frisou Mário Semedo, explicando que, mesmo assim, os quartos ainda não têm os padrões para receber os jogadores profissionais da seleção nacional, conhecida como os 'Tubarões Azuis'.

“Se nós jogarmos aqui em casa, os jogadores que vêm jogar connosco estão num hotel, que tem um standard muito superior, isso cria algum desconforto. Temos também que pensar nesse aspeto. Por isso, que a nível da seleção AA não pensamos que ainda tenhamos as condições, vamos tentar criar as condições para que possamos ter a nossa seleção aqui nesta casa, mas temos que ter também outras intervenções que ainda não temos”, explicou.

Depois de todos os trabalhos, o dirigente disse que vão ser criados na sede novos conceitos ligados ao futebol, a começar pela entrada, com passagem em imagens dos momentos marcantes do 'desporto rei' em Cabo Verde.

“Será também uma boa sala de visita para as pessoas que queiram vir visitar a federação, queiram conhecer um pouco da história do futebol cabo-verdiano”, prosseguiu Mário Semedo.

Além da Praia, a FCF tem centros de estágios nas ilhas do Sal, inaugurado em 2018, e de São Vicente, que foi “emprestado” às autoridades de saúde desde o ano passado para funcionar como hospital de campanha para os doentes infetados e centro de testes da covid-19.

“Neste momento o país enfrenta o problema da covid, tem problemas reais com infraestruturas, e o futebol tinha que ser solidário com esta causa que atinge a nós todos”, manifestou, dizendo que a FIFA recebeu “de muito bom agrado” essa gentileza da federação de futebol.