Prolongamento
Bruno de Carvalho anuncia "maior processo de sempre em Portugal" contra a Cofina
Redação
2021-01-06 12:40:00
Ex-presidente do Sporting dá conta de "mais de mil notícias caluniosas", num caso com "41 arguidos"

O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, garante que o processo contra a Cofina "será o maior" em Portugal, e "um dos maiores da Europa, contra um grupo de comunicação social". A revelação foi feita numa entrevista na FM Café, concedida no passado domingo. Em causa estão, segundo Bruno de Carvalho, "notícias de calúnia e difamação", publicadas nos diversos órgãos daquela empresa. 

"O processo contra a Cofina tem mais de 400 folhas e mais de mil folhas de anexo. É o maior processo feito em Portugal. E na Europa, contra um grupo de comunicação social, um dos maiores", revelou o ex-dirigente leonino, que recebeu informação detalhada da sua advogada, no início deste ano. "Foi uma prenda de fim de ano", congratulou-se. 

"Estamos a falar de mais de mil notícias de calúnia e difamação. Dentro da Cofina – CMTV, Correio da Manhã, jornal Record, revista Sábado e revista TV Guia –, foram mais de mil notícias, com 41 arguidos. Um deles é a Cofina, 39 são jornalistas e a última é a mãe da minha filha mais velha, pela entrevista vergonhosa e mentirosa que deu à TV Guia", detalhou Bruno de Carvalho, que fala de uma campanha que tinha como objetivo descredibilizá-lo. 

O antecessor de Frederico Varandas na direção do Sporting garante que este “é o maior processo de sempre, com o maior pedido de indemnização de sempre”. Valor que reclama por se ter sentido “humilhado e difamado” com notícias que classifica de falsas. 

O grupo que mais contribuiu para a minha humilhação e difamação e que mais beneficiou financeiramente com tudo aquilo que aconteceu, finalmente, vai enfrentar a justiça”, anuncia 

Se eles pensavam que bastava chamar os advogados do costume - o Carlos Barbosa da Cruz - estão enganados, porque vão enfrentar o maior processo de sempre”, refere ainda Bruno de Carvalho, que recolheu diversas notícias que foram publicadas naqueles órgãos, bem como comentários em programas da CMTV 

Bruno de Carvalho antecipa “um caso único” nos tribunais, pela dimensão e repercussões que terá, na sua opiniãoE diz-se feliz por poder defender o seu nome, que diz ter sido manchado, ao longo de meses. 

Estou extremamente feliz por ir para o tribunal. Para que as pessoas que tanto contribuíram para o meu mal-estar e da minha família possam, de uma vez, ser condenadas. E que paguem as indemnizações pedidas”, afirma. 

 Afastado do futebol, mas sempre com voz ativa em diversos fóruns de discussão relacionados com o Sporting, Bruno de Carvalho considera que “o futebol português continua a padecer dos mesmos males 

As pessoas pensaram que a saída do Bruno de Carvalho ia resolver todos os males do futebol. Andamos a brincar todos aos joguinhos de poder, no tabuleiro que é o futebol português”, lamenta 

Apesar de não se conformar com a expulsão de sócio do Sporting, o ex-presidente sente-se bem fora do futebol, até porque as experiências que guarda não lhe deixam saudade.  

“Já disse isto uma vez e ninguém me ligou nenhuma: assisti a reuniões de presidentes que nem o primeiro Big Brother batia, em termos de audiência. Tinha tudo. E não era por debaixo dos lençóis, era à vista de todos. Câmaras ali e não era preciso Teresa Guilherme. Era o programa mais visto do mundo. Nunca aguentei mais do que meia hora. Porquê? Porque os meus pais me deram educação”, diz, numa alusão aos encontros com dirigentes do futebol português.