Prolongamento
Bruno de Carvalho abre o livro e fala de tudo sobre Rui Pinto e Football Leaks
Redação
2021-04-06 16:45:00
"A certa altura, pensei que tínhamos uma toupeira no Sporting"

Bruno de Carvalho concedeu uma entrevista à imprensa gaulesa para falar sobre Rui Pinto e sobre o Football Leaks e explicou algumas situações a respeito da invasão ao sistema informático do Sporting, na altura em que era presidente, lançando suspeitas a respeito de outros ataques e dúvidas que tem sobre se terá sido apenas Rui Pinto a ter acesso a conteúdo privado dos leões. Bruno de Carvalho lança suspeitas sobre comentadores ligados ao Benfica. 

"Não fiquei nada infeliz ao ver esses documentos divulgados, porque esses contratos eram tão ruins, tão estranhos... Eu não diria que fiquei feliz, mas não foi um sentimento ruim que tive. Na verdade, é como se voltasse para casa e percebesse que fui roubado. Ok, não é agradável mas quando percebemos que os ladrões só levaram as coisas erradas.... Aí ficamos tristes e com raiva pelo facto de alguém ter invadido a nossa casa, mas por outro lado, percebemos que eles levaram apenas os móveis volumosos que os queriamos deitar fora há vários anos. No fundo, não é tão ruim assim. Depois, quando começaram a sair alguns documentos sobre a nossa reestruturação financeira, aí eu já estava um pouco mais incomodado", explicou Bruno de Carvalho, em entrevista ao francês So Foot, onde falou sobre Rui Pinto e o Football Leaks.

O ex-presidente do Sporting referiu que, inicialmente, notou um certo contentamento por parte dos rivais leoninos, nomeadamente os encarnados, por verem que estavam a ser divulgados documentos do Sporting. "Recordem-se que antes de aparecerem no blogue, alguns documentos foram divulgados na televisão por Pedro Guerra e António Simões. Isso não soa estranho? Como é que eles conheceram esses documentos antes de eles aparecerem no blogue? E então houve um boato de que era um coletivo de jornalistas. Eles pareciam muito felizes com essas revelações. Ninguém imaginava que isso se transformasse no Football Leaks como conhecemos hoje", detalhou Bruno de Carvalho.

O ex-presidente do Sporting disse que pensou que existia "uma toupeira" em Alvalade. "A certa altura, pensei que tínhamos uma toupeira no Sporting e que eles estavam a enviar os documentos diretamente aos jornalistas. Quando apresentamos uma queixa, disse à polícia que eles também deveriam ouvir-me como suspeito. Porquê? Porque eu fui uma das pessoas que teve acesso aos documentos que foram 'vazados'. Eu poderia muito bem ter sido a toupeira".

Nesta longa entrevista à imprensa gaulesa, Bruno de Carvalho tem dúvidas de que só Rui Pinto tenha tido acesso ao sistema informático do Sporting, alegado crime pelo qual está a ser julgado na justiça portuguesa. O ex-presidente verde e branco destaca ainda que não acredita que tenha sido Rui Pinto a enviar documentos confidenciais do Sporting para o Benfica.

"Quem teria passado completamente despercebido pela polícia? Eles têm páginas e páginas detalhadas de todas as tentativas de fazer login no nosso sistema. Como eu disse no julgamento, continuaria a ser hilariante, para mim, saber que este rapaz, que é portuense, poderá ter enviado documentos para o Benfica, em primeiro lugar. Mas isso teriam de lhe perguntar a ele... Seria interessante. Agora, se eu acredito nisso? Se eu ouvir os meus instintos, não. E neste caso, talvez haja algo escondido, além dos ataques do Rui Pinto. Talvez várias pessoas nos hackearam, mas foi ele quem foi apanhado", relatou Bruno de Carvalho.

O antigo líder verde e branco segue essa linha de pensamento e sustena que "acharia fascinante que desse documentos ao Benfica" e explica as razões. "Porque o Benfica é o primeiro a apresentar graves acusações contra Rui Pinto e é o que lhe é mais ferozmente contra", destacou Bruno de Carvalho, salientando que continua a achar que Rui Pinto não terá feito o que está correto e por isso está a ser julgado no caso Doyen.

"Não. Não. Não. Não. Não posso dizer que apoio a invasão de endereços de email de outras pessoas sem o seu consentimento, invasão etc. Mas o que eu disse no tribunal é que às vezes o resultado é tão importante, mas tão importante que é preciso contextualizar. Ok, eu não gosto que me tenham invadido a casa. Mas se ao fazer isso, se encontram evidências de outros crimes, não gostaria que esses crimes não fossem a julgamento porque foram descobertos ilegalmente".

Bruno de Carvalho diz que a justiça deverá julgar todos os crimes da mesma forma e entende que é preciso perceber que Rui Pinto pode será 'herói' e 'vilão'. "Há muitos advogados que têm pavor do Rui Pinto. Acho que os advogados estão com muito medo porque têm sido facilitadores. Eles nunca vão dizer que estão preocupados, é claro. Eles são advogados, vocês entendem..."

O ex-presidente leonino entende que Rui Pinto ajudou a clarificar algumas situações que foi denunciando ao longo dos anos. "É por isso que gosto do Rui Pinto. Ele provou tudo o que denunciei durante anos. Eu tinha tijolo e ele trouxe-me o cimento. Ele mostrou ao mundo inteiro que aquilo pelo qual eu estava a lutar era real."