Prolongamento
"Benfica apresentava uma situação financeira pouco pujante"
2022-07-12 11:50:00
"As compras que Rui Costa está a fazer estão a ser criteriosas", diz antigo vice-presidente

O último ano foi de profundas mudanças no Benfica com Rui Costa a render Luís Filipe Vieira no topo da cúpula diretiva e da SAD encarnada e com a saída de Jorge Jesus, treinador que o antigo presidente foi buscar ao Brasil mas que, apesar da pompa e circunstância com que se deu o seu regresso à Luz, não conseguiu devolver o emblema lisboeta aos sucessos.

Primeiramente, Rui Costa acabou por render Luís Filipe Vieira de forma interina na sequência da detenção do ex-presidente no âmbito do processo Cartão Vermelho. Rui Costa, então vice-presidente, assegurou que iria liderar o Benfica mas que rapidamente acabaria por agendar eleições para que fossem os associados do Benfica a dizerem de sua justiça quanto a quem queriam que fosse o presidente.

O antigo camisola 10 acabou por levar a melhor nas urnas sobre Francisco Benítez e é atualmente o líder do Benfica por vontade da esmagadora maioria dos associados encarnados.

Agora que se cumpre o primeiro ano da presidência de Rui Costa há quem note que, aos poucos, as coisas retomam o seu caminho no Estádio da Luz.

João Braz Frade, antigo vice-presidente do Benfica, lembra que "Rui Costa recebeu uma herança pesada em todos os sentidos" e, por isso, faz um balanço positivo do trabalho do maestro.

"Encontrou uma infraestrutura fabulosa e, por outro lado, a missão nada fácil de recompor o Benfica", concorda João Braz Frade, em declarações ao jornal Record, onde fez questão de lembrar que Rui Costa quando assumiu a liderança do Benfica não encontrou um clube tão pujante a nível económico como parecia.

"O clube apresentava uma situação financeira pouco pujante e também a reputação estava afetadíssima por processos judiciais a envolver algumas pessoas", lembrou o antigo vice-presidente do Benfica.

Em relação ao trabalho de Rui Costa sobretudo agora na recomposição do plantel principal de futebol para atacar a nova temporada, João Braz Frade diz que "as compras que Rui Costa está a fazer estão a ser criteriosas".

O Benfica parte para a nova época com o primeiro grande objetivo ser a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões. A equipa das águias tem de ultrapassar a terceira pré-eliminatória e depois um playoff para chegar à fase onde estão as equipas mais fortes do futebol do velho continente. 

Para a missão, Rui Costa optou por contratar um treinador alemão. Roger Schmidt é o novo timoneiro da equipa técnica do Benfica par atacar a próxima época.