Prolongamento
"Arte de finalizar de Pedro Gonçalves só tem paralelo com Ronaldo. Tem fineza"
2021-08-13 11:05:00
Especialista no treino e ex-adjunto do Sporting fala do "cometa" Gonçalves

Pedro Gonçalves soma e segue de leão ao peito e os elogios não param. O transmontano arrancou a época em alta, tal como tinha terminado a última. Campeão nacional, vencedor da Taça da Liga e recebendo o prémio de maior artilheiro do campeonato, o transmontano acabaria por ser chamado por Fernando Santos ao Euro2020 mas não alinhou qualquer minuto na competição europeia de seleções, de tal modo que as críticas ao selecionador têm sido várias.

Sobretudo porque Pedro Gonçalves arrancou a edição 2021/22 da temporada de pontaria afinada, à imagem do que fez na última época. Os adeptos do Sporting 'esfregam as mãos de contentamento' e a crítica mostra-se rendida ao camisola 28 de Alvalade, um número mítico no clube verde e branco que foi usado por Cristiano Ronaldo, por exemplo. E é sobre Cristiano Ronaldo e Pedro Gonçalves que surge uma associação curiosa por parte de um especialista no treino e antigo adjunto do Sporting.

Jorge Castelo mostra-se rendido a Pedro Gonçalves e destaca a forma como o transmontano consegue enfrentar as balizas adversárias, chegando mesmo a comparar a sua "arte" de finalizar ao talento de Cristiano Ronaldo no cara a cara com os guarda-redes.

Na última temporada, 23 remates certeiros fizeram de Pedro Gonçalves o máximo artilheiro do campeonato e, nesta época, continua de 'pé quente', para felicidade da plateia verde e branca.

Natural de Vidago, 'Pote', como também é conhecido, chegou do Famalicão na última época e rapidamente se fixou no onze de Rúben Amorim, sendo uma das figuras em destaque no plantel que, quase 20 anos depois, terminou com o jejum de títulos no principal campeonato.

Os elogios têm sido vários e variados. Nos jornais, a cada exibição de Pedro Gonçalves surgem associações à alcunha pela qual é também conhecido. 'Jackpote', 'Potes de talento', 'Pote de ouro' ou até 'Qualidade aos potes'. 

Mas nunca como agora se fez um elogio tão emblemático ao transmontano que é comparado "na arte" de fazer golos ao capitão da Seleção Nacional.

"Atenção que o Pedro Gonçalves já era grande jogador no Famalicão. Notava-se que era jogador. O mais interessante no Pedro Gonçalves é que ele, de vez em quando, parece um cometa que aparece e desaparece do jogo. O Rúben Amorim já falou disso. Mas ele não desaparece. Ele parece que se torna invisível e o adversário esquece-se dele. Depois ele tem duas coisas fundamentais, uma é a arte de finalizar, fineza de marcar golois que é absolutamente incrível."

Em declarações na A Bola TV, Jorge Castelo referiu ainda que Pedro Gonçalves "acalma a equipa" com a capacidade de fazer golos. "Dá uma estabilidade enorme".