Prolongamento
"A Justiça é célere no Tejo, abranda no Mondego e afoga-se no Douro"
2022-01-14 13:20:00
"No caso do FC Porto [juízes] vão a casa do presidente", diz Braz Frade

As sociedades que gerem alguns clubes de futebol, em Portugal, têm estado na mira da Justiça portuguesa, com o Ministério Público a realizar várias buscas, nos últimos meses, a diferentes sociedades desportivas e dirigentes ou ex-dirigentes de futebol. Benfica e FC Porto foram duas das sociedades alvo de buscas só que João Braz Frade, antigo vice-presidente encarnado, nota que há uma diferença de atuação ao nível do tempo em relação a processos encarnados e azuis e brancos.

"As notícias são sempre Benfica, Benfica, Benfica. A Justiça é célere no Tejo, abranda no Mondego e afoga-se no Douro", afirmou o antigo vice-presidente do Benfica, fazendo uma alusão às notícias recentes sobre a recusa de uma juíza em participar nas buscas aos dragões, numa tema, de resto, que mereceu já um esclarecimento da entidade que supervisiona a função dos juízes em Portugal.

"Agora percebeu-se o porquê. É verdade", comentou João Braz Frade, apontando também para as explicações dadas pelo Conselho Superior de Magistratura a respeito de uma juíza que recusou participar nas buscas ao FC Porto e a Pinto da Costa.

Ainda relativamente a este tema, o ex-vice-presidente João Braz Frade compara as notícias que foram publicadas nos últimos anos sobre a presença de figuras da Justiça na tribuna do Estádio da Luz, durante a administração de Luís Filipe Vieira, com as revelações conhecidas recentemente a respeito das buscas a Norte, na SAD portista.

"O Benfica não tem vergonha, aparentemente, de convidar juízes. No caso do FC Porto vão a casa do presidente", atirou João Braz Frade, dizendo que "no FC Porto ninguém quer investigar".

Por outro lado, em declarações na CMTV, João Braz Frade falou também sobre excertos que foram publicados das escutas onde o próprio aparece a falar com Luís Filipe Vieira.

"Eu não falava semanalmente com o senhor Luís Filipe Vieira. Falava de vez em quando e até estive anos sem falar com ele", justificou o antigo dirigente das águias.

Recentemente, recorde-se, foram divulgadas na imprensa algumas conversas do ex-presidente Luís Filipe Vieira que as autoridades judiciais conseguiram intercetar no âmbito da investigação da operação Cartão Vermelho.

O antigo presidente das águias é o arguido mais mediático neste processo e, nos últimos meses, foram revelados contornos de alegados negócios que o Benfica realizou durante a gestão de Luís Filipe Vieira, antigo líder que foi rendido na cúpula diretiva benfiquista por Rui Costa, seu antigo vice-presidente e administrador da SAD encarnada.