Prolongamento
“A história do Benfica é muito mais gloriosa que aquilo a que se assistiu”
2021-09-19 21:00:00
Pires de Andrade lamenta momentos de tensão durante Assembleia-Geral. E critica comportamento de alguns associados

O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Benfica, António Pires de Andrade, faz um balanço negativo da assembleia de sexta-feira, apontando o dedo a uma “larga maioria” dos associados do Benfica que participaram naquela reunião magna.

Em declarações ao jornal A Bola, António Pires de Andrade, que assumiu funções de presidente da Mesa da Assembleia-Geral desde a saída de Rui Pereira, fala de uma “experiência muito dura”, “com a qual não contava”, numa alusão a essas funções que ‘herdou’. E numa análise à reunião de sexta-feira lamenta o comportamento de “alguns associados”.

“Não digo que os associados presentes na Assembleia se tenham portado mal, mas aquilo que se viu durante quase toda a noite não reflete de forma alguma aquilo que é a grandeza do Benfica”, refere, em declarações àquele diário.

Os momentos de tensão surpreenderam António Pires de Andrade, que não gostou de assistir à dificuldade de alguns associados em exprimir a sua opinião.

“Aquilo que pretendia era que todos os sócios pudessem exprimir-se de igual forma e o que se viu foi que a larga maioria presente, afeta à sensibilidade daqueles que convocaram a assembleia-geral extraordinária, não permitiu que os restantes se exprimissem de forma adequada”, aponta ainda.

“Custou-me que assim fosse”, prossegue António Pires de Andrade, que se sentiu desagradado com os “momentos de tensão” que “roçaram a falta de educação”, bem como “ataques a mim e à Mesa e a outras pessoas”.

“A história do Benfica é muito mais gloriosa que aquilo a que em largos momentos se assistiu. Custou-me muito”, conclui.

Os sócios do Benfica aprovaram, nessa Assembleia Geral, a realização de uma auditoria às eleições de 28 de outubro de 2020, que reconduziram Luís Filipe Vieira à presidência dos encarnados.

Nesta reunião magna que se realizou no pavilhão número 2 do Estádio da Luz, os sócios começaram por dar parecer positivo à utilização do voto físico para a discussão do segundo ponto da ordem de trabalhos e que aprovou a constituição de uma comissão independente de sócios e com poderes conferidos para organizar a realização de uma auditoria ao sistema de votação eletrónica utilizado nas últimas eleições.

Luís Filipe Vieira foi reeleito, mas, em 15 de julho, apresentou a demissão do cargo.

O objetivo deste segundo ponto visa iniciar um processo de esclarecimento do modo como se processou a recolha das urnas que continham os talões de voto emitidos, nomeadamente relações com empresas envolvidas no processo, termos da sua contratação, local de destino e/ou depósito das urnas, integridade das mesmas e intangibilidade dos talões.

Os próximos pontos a serem votados são relativos ao processo de contagem dos votos depositados nas urnas durante a Assembleia Geral Eleitoral de 28 de outubro de 2020 e modo da respetiva divulgação aos sócios do Benfica e a discussão e apreciação de proposta de Regulamento Eleitoral para as eleições do Sport Lisboa e Benfica.