Portugal
“Vou fazer o esforço de falar de futebol jogado por humanos”, diz Cardoso
2021-05-05 23:55:00
Treinador do Rio Ave deixa reparos sobre a arbitragem por causa do penálti que deu primeiro golo do Sporting

Miguel Cardoso, treinador do Rio Ave, criticou Fábio Veríssimo pelo lance de grande penalidade que permitiria a Pedro Gonçalves deixar o Sporting em vantagem, no jogo desta noite, para a 31.ª jornada da I Liga e que resultou na vitória dos leões (0-2).

“Estou a fazer um esforço para falar de futebol, estão a passar-me muitas coisas pela cabeça. Vou fazer o esforço de falar de futebol, de futebol jogado por seres humanos, um futebol de emoções, de gestão, que se joga com as pernas, os braços, a cabeça, o corpo e no qual há reações a um metro, 30 ou 50 centímetros. Se eu reagisse para tocar no microfone eu tocaria no microfone, você não tinha tempo de o tirar”, comentou Miguel Cardoso, na entrevista rápida à Sport TV.

Tentando “falar de futebol”, o técnico do Rio Ave salientou que “o Sporting foi matando o nosso jogo com faltas” e... voltou aos reparos à arbitragem.

nstabilidade, aparece o segundo golo. E aí torna-se difícil gerir o jogo. Depois o Sporting deixa ficar cinco jogadores atrás e não sai daí... O Sporting foi matando o nosso jogo com faltas."Isto não tem a ver com a vitória do Sporting, mas efetivamente ouvi conversas entre jogadores que é muito claro um conjunto de coisas em relação a esse lance [do penálti]. Os comentários que ouvi não os vou dizer... O futebol é jogado por pessoas e que não podem jogar assim [estica os braços]. É uma questão de equilíbrio”, reforçou.

“A forma como se julga é incrível. Joga-se por muita coisa, nós trabalhámos... O possível futuro campeão nacional não trabalha de forma diferente do Rio Ave. Nós somos os mesmos. Eu já estive no Sporting e no FC Porto, não é a cor da camisola que faz a diferença e não deve ser. É um lance de futebol e o jogo virou. Não é uma crítica ao árbitro, mas um apelo a esse cuidado. Joga-se muita coisa, as decisões têm de ser ponderadas com essa ponderação. Não tem a ver com o árbitro. O quarto árbitro, por exemplo, tem de ter cuidado como lida com as coisas. Tem a ver com um conjunto de jogos e não hoje. Há momentos em que precisas de algo para enquadrar”, insistiu Miguel Cardoso.

Ao elogiar o “caráter” do Rio Ave frente a “uma equipa que provavelmente será campeã”, o técnico deixou ainda a promessa de que a formação de Vila do Conde vai lutar “até à última” pela permanência. “Estamos preparados. A minha missão é unir os jogadores em torno desse propósito. Vamos com energia preparar os próximos jogos”, finalizou.