Portugal
"Varandas também não disse que os outros não têm perdão de dívida"
2024-05-22 10:45:00
"Fala ‘não somos manchados com processos judiciais’ e ‘nem tem uma guarda pretoriana’", lamenta ex-jogador Diogo Luís

O presidente do Sporting aproveitou a presença da equipa campeã nacional na Câmara de Lisboa para enviar recados para os rivais. Frederico Varandas assumiu que a conquista do título deveu-se a mérito dos leões, sem "processos judiciais" ou "guardas pretorianas". No fundo, Frederico Varandas enviou uma mensagem para a Luz e para o Dragão.

"O Sporting demonstra que é possível vencer com coragem, com dignidade, com integridade, sem a mancha de processos judiciais e sem qualquer guarda pretoriana paga", atirou o presidente dos leões no discurso que fez na autarquia da capital portuguesa.

"Varandas também não disse que os outros não têm perdão de dívida"

As palavras de Frederico Varandas têm gerado críticas ao líder verde e branco. Há até quem notou um "um beijo daqueles grandes ao Benfica" dado pelo líder do clube leonino quando falou no segundo classificado como um "digno vencido".

Diogo Luís, antigo jogador de futebol, diz que não percebe a necessidade de Frederico Varandas em ir buscar os rivais para as suas narrativas mesmo na hora dos festejos.

“Eu não percebo no discurso de Frederico Varandas porque é que vai buscar o segundo classificado. Digno vencido? Todos foram. O FC Porto também foi”, salientou Diogo Luís na CNN Portugal.

"Varandas tem que se concentrar nele próprio"

“Acho que Frederico Varandas tem que se concentrar nele próprio, tem de realçar os seus méritos”, aconselhou o ex-futebolista português. “Estamos numa liga que é um produto", lembrou Diogo Luís.

Por isso, o antigo defesa-esquerdo acredita que Frederico Varandas não deveria optar por uma linha de comunicação destas. "Estamos a negociar os direitos de televisão e, de repente, fala que ‘não somos manchados com processos judiciais’ e ‘nem tem uma guarda pretoriana’. Mas também não disse que os outros não têm perdão de dívida. Porque não disse ‘os outros não têm perdão de dívida como eu tive?’”, questionou Diogo Luís.

"Porque não disse ‘os outros não têm perdão de dívida como eu tive?’"

Se têm aparecido críticas a Varandas, a verdade é que também há quem saia em defesa do presidente do Sporting, lembrando que a expressão de "guarda pretoriana" no FC Porto foi uma narrativa que começou com André Villas-Boas.

Já quanto à alfinetada ao Benfica, com a chamada ao discurso de casos judiciais, o ex-jogador Fernando Mendes referiu que "de 15 em 15 dias estão em tribunal Vieira, Rui Costa ou Paulo Gonçalves". Por isso, disse que compreende o recado deixado por Varandas.