Portugal
"Todos sabemos que o problema está na benevolência com os lances do Benfica"
Redação
2021-01-16 21:45:00
Francisco J. Marques denuncia "caldo de cultura que historicamente protege" o rival

O diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, reforçou os ataques ao Benfica e à arbitragem do último clássico, já depois dos dragões terem começado o dia a alegar que foram perdoadas duas expulsões ao rival.

Através do Twitter, o dirigente portista fez várias publicações, ao longo da tarde, para explicar que existe um "caldo de cultura que historicamente protege os jogadores do Benfica".

Francisco J. Marques fez contas e concluiu que, "nos últimos três clássicos com o Benfica, o FC Porto teve duas expulsões", acabando por jogar "88 minutos em inferioridade numérica", ou seja, "praticamente um jogo inteiro dos três em análise".

"Quem viu os três jogos sabe bem que o problema não esteve nas expulsões dos jogadores do FC Porto, todos sabemos que o problema está na benevolência com que são ajuizados lances duros ou violentos dos jogadores do Benfica", reforçou.

Depois de já ter considerado que Pizzi, “o impune”, e Nuno Tavares, “o caceteiro”, deviam ter sido expulsos, ainda antes do vermelho direto a Taremi, o dirigente do FC Porto acrescentou a esta lista mais um nome, Vertonghen.

"O jogo de ontem foi um exagero e só com um critério muito permissivo foi possível que Pizzi, Nuno Tavares e Vertonghen não fossem expulsos", insistiu.